menu

10/10/2018


Saiba porque NE sabe votar melhor; nova safra de governadores e gestão capazes resistem ao atraso

A grande mídia e setores da sociedade rica do Sul e Sudeste do Brasil se irritam facilmente com o atestado de que os 9 Estados do Nordeste, depois da nova safra de governadores progressistas ter gerado grandes resultados econômicos e sociais, mas o fato é que a decisão deles de anunciarem nesta fase o apoio a Fernando Haddad é movimento muito mais além do que Lula e PT.

Eles representam, ao contrário dos preconceitos reproduzidos pelo Sudeste, a nova safra de gestores capazes com resultados de alta repercussão econômica e social por adotarem políticas de equilíbrio fiscal, como não acontece em muitos Estados ricos do País.

O resultado das urnas não tem nenhuma dependência de assistencialismo, como pressupõem os Sulistas porque a fase de exploração humana nos tempos dos velhos coronéis da política está inteiramente superada pela existência dos novos líderes qualitativos.

A eleição ou reeleição de governadores somente se deu em 7 dos 9 estados no primeiro turno com chances de se ampliar no segundo somente se deu porque a nova mentalidade política e o nível das gestões têm atendido às reivindicações da sociedade do Nordeste com postura diferenciada.

Está mais do que na hora da Elite paulistana, sulista, etc acabar de vez com essa história de preconceito inaceitável contra o voto do Nordestino – para quem não sabe, o lugar da primeira Capital do País e o ambiente da resistência democrática por saber fazer melhor juízo de valores e assim ter melhores escolhas.

Atraso mesmo está em diversos Estados do Sudeste, elegendo figuras desqualificadas, mas que a Democracia permite pelo voto livre e soberano dos seus eleitores. Cada um colhe o que planta.

No caso do Nordeste, é preciso aprender a lição básica sobre como formar lideres políticos progressistas e capazes como faz falta no Sul e no Sudeste brasileiros.

Chega de preconceito!

 

 

 

Notícias relacionadas