menu

04/03/2018


O timing de João Azevedo na sucessão: realidade, mitos e perspectivas

É preciso admitir como cenário real a existência da pré-candidatura de José Maranhão, a implosão da candidatura de Luciano Cartaxo restando ao PSDB lançar Romero Rodrigues, algo improvável, ou se aliar ao MDB. Neste contexto, pouca probabilidade de LC apoiar Maranhão e isto intui alinhamento com Azevedo

Março chegou como mês definindo novas e antigas posições no tabuleiro político do Estado e produzindo uma realidade na qual a síntese expõe na essência a quebra da Unidade da Oposição com base em 2016 e agora, bem como a consolidação incontestável do pré-candidato da situação, João Azevedo, dentro e fora do PSB.

Antes de analisar e compreender o timing de Azevedo é preciso admitir como cenário real a existência da pré-candidatura de José Maranhão, a implosão da candidatura de Luciano Cartaxo restando ao PSDB lançar Romero Rodrigues, algo improvável, ou se aliar ao MDB. Neste contexto, pouca probabilidade de LC apoiar Maranhão e isto intui alinhamento com Azevedo.

PORQUE AZEVEDO CRESCE

Diferentemente da disputa municipal, desta feita o candidato escolhido a dedo pelo governador Ricardo Coutinho produz estilo e desempenho claramente impositivo, alinhado sem igual ao Projeto Girassol e atuante nas bases políticas, sobretudo no Interior, onde age fortemente para expandir sua imagem e superar a defasagem de Recall na comparação com Maranhão.

Poucos vêem ou observam, mas Azevedo tem investido muito nos municípios mais distantes do Estado e isto já se percebe nas pesquisas chegando em vários deles a liderar na corrida estadual.

Some-se a esta performance, as negociações políticas dele, do governador e do PSB fechando apoios com prefeitos e lideranças do PSDB, MDB, PSD, etc.

OS GARGALOS NESTA FASE

João Azevedo é pré-candidato em ascensão evidente, mesmo assim convive com a suspeita aqui ou acolá do “Mito” em torno do governador de não saber fazer vitoriosos seus candidatos a partir das duas últimas eleições municipais em João Pessoa.

Além do mais, aliados próximos reclamam que quando chega nos recintos aparece acanhado, meio escondido, sem o estilo tradicional de ir logo cumprimentando as pessoas.

Ainda falam de sua timidez de não se jogar na pré-campanha com a energia contagiante a “incendiar” a militância.

SEM ESTERIÓTIPO À ESQUERDA

Há quem veja nele todos os predicativos de capacidade, mesmo sem o carimbo de Esquerdista ou ligado aos Movimentos de Luta da sociedade organizada, como RC é o principal exemplo.

Só que João Azevedo precisa ser tratado e respeitado na sua essência muito mais reconhecido pela capacidade – e isto fará diferença em 2018 – sabendo-se que o protótipo de não Esquerdista pode ainda assim lhe ser mais útil no trato com outros segmentos políticos, já que terá a Esquerda e mais 15 partidos ao seu lado.

O fato é que ele já se consolidou e tem todas as chances de crescer mais ainda por ser coautor e corresponsável pelo Projeto Reformista posto em prática pelo governador com grandes resultados positivos.

O QUE VAI PESAR

Azevedo parte agora para difundir cada vez mais que conhece a Paraíba e seus problemas com detalhes atualizados como nenhum outro e, certamente, precisando fazer política atraindo novos acordos e apoios como o que se desenha com Luciano Cartaxo.

Em síntese, João Azevedo está preparado e no páreo, como não esteve na disputa municipal.

 

 

Notícias relacionadas