menu

04/04/2018


A força da Gestão e o Marco na Saúde da Grande João Pessoa em plena crise moral e econômica

A Paraíba como um todo acompanha nesta quarta-feira a inauguração do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, com efeitos imediatos muito além da super – estrutura física de um grande equipamento, porque mexe com muitos elementos e fatores, sobretudo no zelo humano em plena época de crise moral e econômica no Brasil.

Como é possível produzir tamanha interferência na Saúde complexa em torno da Cardiologia para reduzir a mortalidade de paraibanos, exatamente quando os grandes Estados estão quebrados e a União vive o caos?

CAPACIDADE DE GESTÃO

Chegar a este estágio certamente que foi preciso ter competência nos vários níveis, em especial de planejamento e controle rigoroso de recursos para chegar ao resultado de hoje de forma singular.

Neste particular, embora a Oposição se contorça de inveja, o mérito de tudo está na competência do governador Ricardo Coutinho demonstrada não só neste grande equipamento de interferência muito forte na Saúde da Grande João Pessoa.

Mais do que competência tem também ousadia, controle de dinheiro da rubrica própria e apoios conjunturais, a exemplo do que ofereceu de emenda o Deputado Federal Efraim Filho.

GANHO PÚBLICO

Embora haja os enciumados querendo por gosto ruim, como carimbou o mestre Rubens, o Governo investiu em equipamentos de alto nível porque a sociedade a ser atendida precisa desta qualidade cabendo aos gestores do hospital a capacidade de manter com mesmo nível.

No mais, Ricardo presta uma grande homenagem a um Homem Santo de nome José Maria Pires, lutador de melhoria para os mais pobres.

No caso do hospital, servirá para pobres e ricos, sem distinção.

Eis um novo Marco da Gestão RC. É preciso apenas reconhecer o mérito dele e equipe.

Notícias relacionadas