Advogada se retrata em juízo sobre a questão do assédio sexual na OAB/PB

    0
    2

    O advogado Raoni Vita, atual vice-presidente da OAB Paraíba escreveu artigo nesta terça-feira comemorando o término de antigo desgaste emocional, ao atestar em juízo o retratamento da advogada Edith Christina Medeiros Freire diante do processo existente de suposto assédio sexual do secretário geral Assis Almeida contra a ex-funcionária Lanusa do Monte, demitida pelo presidente Paulo Maia.

    No Título do artigo, “ ALMA LAVADA, PÁGINA VIRADA”, ele lembra que “atravessei quase dois anos sofrendo injustas agressões por conta de uma boa ação praticada”.

    E adiciona:

    “Confiante na justiça divina e dos homens, mantive conduta retilínea, sabendo que tudo seria esclarecido de forma definitiva no tempo certo. Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mal.” (Eclesiastes 12:14)”

    Eis detalhes do comentário sobre o rumoroso caso de assédio sexual na OAB encoberto pelo atual presidente.

    “Atravessei quase dois anos sofrendo injustas agressões por conta de uma boa ação praticada.

    Confiante na justiça divina e dos homens, mantive conduta retilínea, sabendo que tudo seria esclarecido de forma definitiva no tempo certo.

    Nunca me arrependi da forma proba com a qual conduzi uma denúncia de assédio sexual que uma funcionária da OAB/PB me relatou, quando simplesmente transmiti internamente o choro e o apelo de uma mãe de família que havia me procurado como tábua de salvação.

    Não entrarei, pois não me cabe, no mérito dos fatos narrados, tampouco misturarei o tema com outras questões – como muitos fizeram, de lado a lado, o que nunca fiz -, mesmo sabendo do julgamento precipitado e preconcebido que várias pessoas injustamente fizeram de mim.

    Atenho-me, aqui, a relatar que, na data de ontem, perante o Poder Judiciário Paraibano, a única voz que dizia que eu teria praticado uma coisa abominável finalmente recebeu um sopro divino e esclareceu, perante uma Magistrada e um Promotor de Justiça, durante audiência de instrução, que eu jamais pratiquei qualquer ato de conspiração ou armação nessa história.

    Ingressei com uma queixa-crime para restaurar minha honra, minha ética e minha trajetória de vida, que sempre foi de muito suor e luta, e que agora finalmente voltam a ficar em brancas nuvens após a RETRATAÇÃO JUDICIAL exercida pela pessoa que me acusava, e aproveitamos inclusive para fazer um gesto módico a uma instituição de caridade.

    Alma lavada e página virada, espero que não toquem mais no meu nome quanto a este assunto que dou como superado.

    Vida que segue.

    “Mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças.
    Voam alto como águias;
    correm e não ficam exaustos,
    andam e não se cansam.” (Isaías, 40:31)”