menu

Saúde

30/07/2019


Secretário justifica retenção de macas no Trauma e cobra Prefeitura por mais ambulâncias

Geraldo Medeiros, é secretário de Estado da Saúde (Reprodução/ WEB)

 O secretário de Saúde do Estado da Paraíba, Geraldo Medeiros, afirmou nesta terça-feira (30) que o aumento de acidentes causou a retenção de macas registrada neste fim de semana no Hospital de Trauma de João Pessoa. Ele justificou que a prioridade da Saúde é tratar o acidentado antes de liberar a maca de volta às ambulâncias.

 “No final de semana tivemos uma sobrecarga de mais de 500 atendimentos, inclusive mais de 100 vítimas graves, e isso momentaneamente ocasional a retenção. A prioridade é salvar a vida,  não tirar a maca, pacientes graves instáveis são atendidos com equipes e requerem vários especialistas e aí demora um pouco a retirada do paciente da maca”, disse à Arapaun Fm.

 Ele reclamou da quantidade de macas disponibilizadas pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) à população e cobrou um número maior de veículos para a cidade de João Pessoa.

 “É preciso ter em mente que a Prefeitura tem apenas 14 ambulâncias para servir a um milhão de pessoas. Acho que Prefeitura tem que refazer o cálculo”, declarou.

Prefeitura de João Pessoa rebate

 O secretário de saúde da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), Adalberto Fulgêncio, rebateu Medeiros e apontou que o ‘colapso’ que ocorreu no Hospital de Trauma é responsabilidade única do Governo do Estado.

 “João Pessoa tem  850 mil habitantes e tem direito a 15 ambulâncias. O que aconteceu ontem foi um colapso do sistema do Hospital de Trauma da Br, gerenciado pelo Governo do Estado. Quem tem que fazer o plano de contingência é o hospital, que tem que ter macas hospitalares, cada ambulância tem suas macas customizadas. O colapso foi de responsabilidade do hospital, que reteve todas as macas do Samu”, disse.

Por Redação / Portal WSCOM