menu

Futebol

11/01/2013


Santos e Fla disputam Carlos Eduardo

Mercado

O Santos fechou com Montillo e Cícero. O Flamengo se reforçou com Elias e Gabriel. Agora, paulistas e cariocas disputam Carlos Eduardo. O meia-atacante do Rubin Kazan está em Antália, na Turquia, onde o clube russo realiza os treinos de intertemporada. A passagem dele pela cidade, no entanto, tem um único motivo: a liberação para voltar ao futebol brasileiro. A amigos, o jogador, de 25 anos, já deixou claro que atuará no Brasil em 2013. Será em São Paulo ou no Rio, mesmo depois de ter dito que a prioridade é retornar para Porto Alegre, pela proximidade da família – o Fluminense também cogitava a contratação. A decisão depende do clube do leste europeu.

Os russos, que investiram € 24 milhões no jogador em 2010 (R$ 64,5 milhões na cotação atual), aceitam liberá-lo por empréstimo durante uma temporada. A intenção é ampliar o contrato por mais um ano (o vínculo atual termina na metade de 2014) e esperar que no Brasil ele volte a ficar em evidência e ganhe mais valor de mercado para uma futura negociação. Na disputa entre o Peixe e o Rubro-Negro, além do dinheiro, a qualidade do projeto para o meia-atacante fará a diferença.

Carlos Eduardo não era a prioridade do Santos, mas já foi sondado pelo clube. Em função da concorrência financeira desleal com times do Catar e da Arábia Saudita pelo também meia-atacante Nenê, do Paris Paris Saint-Germain, da França, o Peixe repensa o possível reforço. De acordo com o superintendente de esportes, Felipe Faro, a eventual contratação de Nenê inviabiliza a transferência do ex-gremista. Mas se antes a chegada do jogador do PSG era vista como provável na Vila, a chance de a negociação melar aumentou no fim da noite desta quinta-feira, segundo pessoas próximas ao atleta. Por isso, o foco do Alvinegro começa a mudar. De qualquer forma, a presença de Neymar balança Rubin Kazan e Carlos Eduardo. Jogar com o principal atleta brasileiro na atualidade pode pesar na decisão.

– Estamos monitorando esta situação (do Carlos Eduardo), mas ele tem vínculo com o clube dele. É um jogador de uma outra realidade financeira. Está no radar – diz Faro.

– Consideramos uma negociação difícil, pelo fato de Nenê ter propostas de clubes do Oriente e da Arábia. Eu acho que é uma questão de saber se ele tem interesse em voltar ao Brasil e jogar no Santos – afirma o vice-presidente Odílio Rodrigues, dando pista de que o acordo com o atleta do PSG não será fácil, o que aumenta o interesse em Carlos Eduardo.

Por outro lado, no clube da Vila Belmiro a concorrência teoricamente seria maior. E é aí que o Flamengo pode ficar em vantagem. No Rubro-Negro, o jogador chegaria na condição de titular absoluto, o que o deixaria mais perto de realizar o desejo de voltar à seleção brasileira. No Ninho do Urubu, Carlos Eduardo reencontraria Paulo Pelaipe, com quem trabalhou no Grêmio.

O meia-atacante surgiu no estádio Olímpico em 2007 e foi um dos protagonistas da equipe vice-campeã da Libertadores da América. No mesmo ano, foi vendido para o Hoffenheim, da Alemanha. Diretor de futebol do Flamengo, Pelaipe é um admirador do jovem e tem relação de longa data com o empresário Jorge Machado, agente do jogador. A mudança para o Rio de Janeiro e a transferência para o clube brasileiro de maior torcida também são atrativos que o atleta considera.

Jorge Machado espera que Carlos Eduardo volte ao Brasil com a liberação do Rubin Kazan no fim de semana.

– Essa é a nossa expectativa. O Carlos Eduardo interessa a muitos clubes não só pelo futebol, mas pela pessoa que é. Ele quer voltar a jogar no Brasil porque acha que quem conseguir espaço com o Felipão (Luiz Felipe Scolari, técnico da Seleção) este ano vai ficar muito perto de jogar a Copa do Mundo no Brasil em 2014 – disse o agente.