menu

Música

12/01/2013


Shows de Roupa Nova e Totonho hoje em JP

Extremo Cultural

O romantismo será o tom deste sábado (12) no projeto Extremo Cultural – Onde o Som Toca Primeiro, com as apresentações do grupo mineiro Roupa Nova, uma das principais referências da MPB romântica, e do cantor e compositor paraibano Totonho, que deve surpreender o público acostumado com sua "vibe" eletrônica. Os shows começam a partir das 20h, no Busto de Tamandaré, praia do Cabo Branco. Antes, às 19h, haverá uma apresentação de cultura popular com o Cavalo Marinho Infantil do Mestre João do Boi, em frente ao palco.

O Roupa Nova retorna a João Pessoa para apresentar o show baseado no DVD "Cruzeiro Roupa Nova", registro de apresentações feitas dentro um transatlântico. Os músicos não vão deixar de cantar os hits que fazem parte da memória musical dos fãs e demais adeptos do romantismo, a exemplo de "Coração Pirata", "Dona", "Whisky a Go Go", "Linda Demais" e "Volta pra Mim".

O repertório do show inclui também versões de sucessos mundiais, como "Só Olhei Você" ("My Eyes Adored You"), "Nossa Canção" ("My Sentimental Friend") e "Tenha Fé Na Música" ("God Gave Rock and Roll To You") e músicas conhecidas de outros CD a exemplo de "Não Dá", "Terra do Amor", "Frisson", "Tudo Desarrumado" e "Luz do Teu Caminho".

O Roupa Nova é formado por Cleberson Horsth (teclados e vocal), Paulinho (voz e percussão), Ricardo Feghali (teclados, violão, guitarra, voz e vocal), Nando (baixolão, baixo acústico, violão, voz e vocal), Serginho Herval (bateria, djembe, voz e vocal) e Kiko (violão, guitarra, voz e vocal).

Mais romântico – Conhecido por fazer uma síntese entre a música eletrônica, as influências do canto dos vaqueiros e seus aboios e a música pop, o cantor e compositor paraibano Totonho vai apresentar, a partir das 20h, um show que sinaliza a chegada do CD "Canções pra Macho Chorar e Roer Unha", produzido por Zeca Baleiro, e que deve ser lançado no Brasil em abril. O disco, já distribuído no mercado francês, realça o lado autoral e de intérprete de um Totonho mais romântico e o aproxima da MPB mais clássica.

No repertório, não faltarão as baladas conhecidas dos fãs, como "Glaciais", "O Vaqueiro" e "Mandei meu amor pro espaço"e as da nova safra, a exemplo de "Tem Mais Igreja do que Supermercado" e "Não Sou o Que Você Pensa".

Para quem pensa ser difícil um formato mais MPB sem ser acústico, Totonho subirá ao palco com Chico Correa e Sacal, mas quer estar longe do convencional. "Este show mostrará a cara do próximo disco. Tenho receio de ser confundido com a MPB normal, porque aprimorei o sistema de game em que as músicas possibilitam a edição de algumas palavras com a substituição por outras. Não adianta fazer uma música com letra parada. Eu nunca consegui fazer um show igual porque eu não sou um cantor. Sou um M.C., e o meu público me conhece", frisou.

Totonho participou ativamente do Musiclube da Paraíba, nos anos 1980, em João Pessoa, ao lado de cantores como Pedro Osmar e Adeildo Vieira. O músico possui dois CDs lançados pela gravadora nacional Trama: "Totonho e Os Cabra" (2003) e "Sabotador de Satélite" (2005), que obtiveram repercussão nacional.

Cultura Popular – A brincadeira já eternizada do auto da morte do boi é o mote inicial para as apresentações do Cavalo Marinho Infantil do Mestre João do Boi. Ao som do banjo, triângulo, reco e pandeiro, as figuras de Mateus, Birico, Catarina, Margarida, a burra, o urubu, o bode e o boi incorporados por crianças dançam, reinventando os conhecimentos tradicionais do Cavalo Marinho atrás da alegria e da brincadeira.
O grupo, que existe desde 1967, está radicado no Bairro dos Novais e consta, inclusive, dos registros do folclorista Câmara Cascudo. Educador nato, João do Boi nasceu em Bayeux e tem despertado nas crianças o amor à cultura popular, garantido a continuidade dessa manifestação nas futuras gerações. O grupo gravou recentemente o CD "Cavalo Marinho e Boi de Reis na Paraíba".