Por que a telemedicina é uma boa opção?

0
4

A telemedicina é uma especialidade médica que oferece ao paciente o atendimento à distância. Para realizá-la, os especialistas utilizam da tecnologia, como dos computadores e câmeras de vídeo, e também de robôs e a transmissão de dados digitais.

Imagine que você está viajando, mas ficou doente. O seu desejo é se consultar com o seu médico, que está a quilômetros de distância. Com a telemedicina, então, você poderá acessar as plataformas online e obter atendimento.

É importante dizer, porém, que nem todos os especialistas podem realizar esse tipo de cuidado. Na verdade, é preciso que o médico e/ou a empresa de telessaúde estejam autorizados a exercer a telemedicina.

São várias as empresas que oferecem esse tipo de serviço, como a Euroclinix, que oferece consultas online confidenciais, tendo mais de 1.408.805 pacientes atendidos, e oferecendo suporte para pessoas em vários idiomas.

Assim como ela, o mercado está expandindo para essa área. A seguir, falamos sobre os benefícios e as regras para o serviço. Continue acompanhando!

Quais os benefícios da telemedicina?

Segundo dados da RockHealth Report, até 2016, 22% da população dos Estados Unidos fazia uso da telemedicina. Apesar de menos comum no Brasil, esse tipo de atendimento médico vem ganhando espaço, especialmente graças aos seus benefícios.

Sem dúvida, a principal vantagem desse tipo de atendimento médico é a facilidade de contato entre o especialista e o paciente. Por meio de uma câmera e computador, ou mesmo por um smartphone, o médico pode avaliar os sintomas do indivíduo e oferecer diagnóstico. Isso sem a necessidade de que o usuário compareça ao consultório médico.

A possibilidade é ainda mais interessante para indivíduos que moram em locais distantes, com maior dificuldade de acesso de um profissional da Saúde.

Por meio da telemedicina, também é possível obter maior agilidade no atendimento. Assim como a segurança dos dados do usuário, já que o sigilo entre médico e paciente deve ser mantido.

Ainda há a facilidade de análise dos exames laboratoriais do indivíduo. Basta que o médico verifique as informações em seu computador, e então poderá oferecer diagnóstico de forma rápida e facilitada. A redução dos custos operacionais é outro atrativo.

Apesar de todas essas vantagens, porém, a telemedicina ainda não possui a estrutura ideal no Brasil. Afinal de contas, há lugares no País que não contam, nem mesmo, com internet de boa qualidade.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apenas 64,7% possui acesso aos meios digitais. Essa deficiência na rede de computadores brasileira torna um pouco mais difícil o atendimento, e mesmo a popularização, da telemedicina.

Regras para exercício da telessaúde

Como já citado no início do texto, é necessário que médico e empresas possuam autorização específica para   atuar na telemedicina. As normas têm como objetivo resguardar os dados do paciente e garantir o cuidado com o seu bem-estar.

Considerando a segurança de dados, a Resolução CFM nº 2.227/18 determina que todos os atendimentos médicos realizados pela internet precisam ser gravados e guardados. Em seguida, um relatório completo deve ser enviado ao paciente.

Para que qualquer informação seja utilizado fora deste momento de consulta, como para a discussão entre médicos, o paciente deve autorizar o uso dos dados. A autorização deve ser fornecida por escrito ao especialista.

Tipos de procedimento da telemedicina

Outro ponto importante da Resolução é a definição e requisitos para a realização dos procedimentos da telemedicina. São eles: a teleconsulta, teleinterconsulta, telediagnóstico, telecirurgia, teleconferência, teletriagem médica, telemonitoramenteo, teleoientação e teleconsultoria. A seguir, explicamos alguns dos procedimentos. Acompanhe os tópicos.

  • Teleconsulta: consulta online, com o objetivo de “assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde”. Para realizar esse tipo de cuidado, o usuário deve já ter passado por um atendimento presencial. O cuidado virtual servirá apenas um acompanhamento do quadro de saúde do paciente.
  • Telecirurgia: a cirurgia é realizada por um robô, manipulado à distância por um cirurgião especialista. Para garantir a segurança do paciente, um médico permanece a postos durante toda a operação. Assim, caso qualquer problema ocorra, ele poderá assumir as rédeas do procedimento.
  • Telediagnóstico: emissão e interpretação de exames pelo médico, definindo o diagnóstico e tratamento ideal ao indivíduo.
  • Teleinterconsulta: debate, entre médicos e outros especialistas da Saúde, sobre o quadro do paciente. Essa conversa tem como objetivo permitir a troca de informações entre os profissionais e garantir diagnóstico mais acertado. A teleinterconsulta só pode ser realizada após autorização do paciente, e ele pode ou não estar presente no momento.

Gostou da possibilidade da telemedicina? Na hora de se consultar com especialistas, lembre-se de verificar se ele possui autorização para esse tipo de cuidado! Isso vai garantir que você obtenha o melhor atendimento à sua saúde.


Fontes: Época, IBGE