Pedro fica à disposição após mais de 7 meses fora dos gramados

0
3
Pedro Fluminense
Foto: Lucas Merçon/Fluminense

A espera acabou. Depois de exatos 234 dias, mais de sete meses, o Fluminense poderá contar com o atacante Pedro novamente. O jogador não será titular e ainda não está nas melhores condições, mas foi relacionado para o jogo contra o Santa Cruz, nesta quarta-feira, às 21h30, no Maracanã, pela quarta fase da Copa do Brasil.

Depois de um 2018 de brilho ofuscado pela lesão grave no joelho direito, o camisa 9 vive a expectativa de voltar a jogar e encerrar a espera que começou no último dia 25 de agosto. A depender do resultado e da temperatura da partida, é o que deve acontecer nesta noite.

Antes disso, o GloboEsporte.com relembra os passos de Pedro e como o Fluminense se virou sem o seu principal artilheiro por mais de meio ano.

Dos gols ao drama

A ascensão de Pedro foi meteórica em 2018. Em janeiro, o camisa 9 estava na reserva de Henrique Dourado, que acabou se mudando para o rival Flamengo. Em agosto, o jovem atacante, de 21 anos, passou para artilheiro do Campeonato Brasileiro e convocado para a seleção brasileira.

Pedro em 2018

  • Carioca: 13 jogos e 7 gols
  • Copa do Brasil: 4 jogos e 0 gol
  • Brasileirão: 19 jogos e 10 gols
  • Sul-Americana: 4 jogos e 2 gols

Último gol de Pedro foi contra o Defensor, pela Sul-Americana — Foto: REUTERS/Javier Calvelo

Último gol de Pedro foi contra o Defensor, pela Sul-Americana — Foto: REUTERS/Javier Calvelo

Até a lesão no joelho direito, contra o Cruzeiro, na 21ª rodada do Brasileirão, o atacante era o artilheiro do Brasileirão, com 10 gols em 19 jogos. Pedro só havia perdido três jogos no ano. Com ele, o Fluminense acumulou 19 vitórias, nove empates e 12 derrotas na temporada. O jogador terminou aquela temporada com 40 jogos e 19 gols. A próxima parada seria nos amistosos do Brasil em setembro, sob o comando de Tite.

O sonho foi interrompido com aquela torção no joelho direito, aos 46 minutos do primeiro tempo. Depois, nos mais de sete meses seguintes, o jogador passou por uma recuperação delicada, que envolveu cirurgia, fisioterapia e treinos físicos, até trabalhar com bola, o que só aconteceu no final do mês passado .

Como o Flu se virou

De agosto em diante, a vida do Fluminense não foi fácil em 2018. O time perdeu a referência, se complicou no Campeonato Brasileiro e chegou a ficar oito jogos sem vencer. Sem Pedro, o Tricolor terminou a temporada com mais oito vitórias, seis empates e 12 derrotas. O aproveitamento caiu de 55% para 38%.

O dado mais impactante, no entanto, é a diferença de gols. Com o camisa 9 em campo, o clube das Laranjeiras fez 55 em 40 partidas, ou seja, 1,4 por jogo. Sem ele, esse número caiu para 0,7. Na ausência do atacante, o Tricolor marcou 19 vezes em 26 jogos.

Pedro terminou o último Brasileirão como artilheiro do Fluminense, com 10 gols. Depois dele vieram Gilberto, Luciano e Richard, todos com três. A equipe terminou aquela temporada com Everaldo, Luciano e Marcos Junior no ataque. Os três, juntos, marcaram 17 vezes.

Ataque renasce com concorrência

O ano de 2018 terminou aos trancos e barrancos, com briga contra o rebaixamento até a última rodada. Nesta temporada, no entanto, o Flu ganhou novo gás com a chegada de Fernando Diniz e no embalo de um ataque que conseguiu encaixar sem Pedro. O trio formado por Everaldo, Luciano e Yony González deu liga e marcou 24 dos 38 gols do Tricolor na temporada.

Yony, Luciano, Everaldo comandam o Flu neste início de ano — Foto: Lucas Merçon

Yony, Luciano, Everaldo comandam o Flu neste início de ano — Foto: Lucas Merçon

A volta do camisa 9, muito comemorada, também traz um problema que Diniz terá que resolver. Se confirmada a saída de Everaldo, que negocia com o Corinthians, o camisa 9 terá caminho aberto. Mas, enquanto a situação não se resolve, alguém vai sair para Pedro entrar no time? Como Everaldo e Yony são mais rápidos e gostam de jogar pelos lados, sobraria para Luciano brigar com o camisa 9 pela vaga de titular.

Só que, se Pedro tem as credencias de 2018 para apresentar, Luciano não fica para trás em 2019. O camisa 18 tem 11 gols em 19 jogos nesta temporada e é o grande goleador do Fluminense no ano. A briga será boa, e os dois já começaram na última terça-feira, quando fizeram hora extra para colocar a pontaria em dia.

Globo Esporte