Operação Calvário: decretada a prisão preventiva da secretária Livânia Farias; confira a decisão na íntegra - WSCOM

menu

Paraíba

16/03/2019


Operação Calvário: decretada a prisão preventiva da secretária Livânia Farias; confira a decisão na íntegra

Livânia Farias (Foto: Arquivo)

O Portal WSCOM teve acesso a decisão do desembargador Ricardo Vital de Almeida que, na tarde deste sábado (16), determinou a prisão preventiva da secretária de Estado da Administração, Livânia Farias, e do empresário Daniel Gomes da Silva, por supostos crimes investigados no âmbito da Operação Calvário.

 Confira a decisão na íntegra aqui.

Ao determinar a prisão preventiva de Livânia Farias, o desembargador Ricardo Vital de Almeida apontou que não seriam suficientes a aplicação de medidas cautelares, por serem insuficientes para resguardar a ordem pública e aplicação da lei penal e a presentar a instrução penal.

 

A prisão da secretária foi requerida pelo Ministério Público, que denunciou Livânia Farias por lavagem de dinheiro, por meio da aquisição de um imóvel no valor de R$ 400 mil no município de Sousa, no ano de 2016, e de corrupção, por ter supostamente participado do recebimento de R$ 840 mil como propina, no ano de 2018, da organização criminosa que infiltrou-se na Cruz Vermelha brasileira.

O desembargador determinou o sequestro do imóvel da secretária no município de Sousa, em nome de Elvis Rodrigues Farias, e de um veículo BMW, em nome da própria Livânia. Ricardo Vital apontou que o sequestro dos bens deve ter o valor total de R$ 400 mil, quantia a qual supostamente Fazenda Pública teria de prejuízo.

Seguindo a decisão, Livânia foi encaminhada para a 6ª Companhia da Polícia Militar, em Cabedelo, na Grande João Pessoa, onde permanecerá à disposição da justiça.

Na decisão, ainda foi indeferido o pedido de prisão preventiva de de Michelle Cardoso Louzada, por ausência de indícios suficientes da participação dos atos investigados na Operação Calvário.

Operação Calvário

A Operação Calvário foi desencadeada no dia 14 de dezembro passado para investigar núcleos de uma organização criminosa comandada por Daniel Gomes da Silva, que é responsável por desvio de recursos públicos, corrupção, lavagem de dinheiro e peculato, através de contratos firmados junto a unidades de saúde do Estado, com valores chegando a R$ 1,1 bilhão, possuindo atuação em outras unidades da federação, e exemplo do Rio de Janeiro.

Na última quinta-feira, foram cumpridos 11 mandados de busca domiciliar em desfavor da secretária Livânia Maria da Silva Farias e mais 10 pessoas: Elvis Rodrigues Farias, Haroldo Rivelino da Silva, Haller Renut da Silva, Gabriella Isabel da Silva Leite, Lucas Winnicius da Silva Leite, Carlos Pereira Júnior (Kolorau Júnior), Maria Laura Caldas de Almeida Carneiro, Josildo de Almeida Carneiro, Saulo Pereira Fernandes e Keydson Samuel de Sousa Santiago.



Por Redação / Portal WSCOM