Wilma inunda hotéis e avança sobre balneário de Cancún - WSCOM

menu

Internacional

22/10/2005


Wilma inunda hotéis e avança

O furacão Wilma chegou ao balneário turístico de Cancún, no México, e inundou hotéis, quebrando janelas e arrancando escombros das construções, que já haviam sido esvaziadas na preparação à passagem da tormenta, neste sábado.

As águas já alcançam o terceiro andar de alguns hotéis.

Os ventos fortes lançaram árvores e destroços ao ar, e as autoridades metereológicas dos Estados Unidos afirmam que o furacão está “castigando incessantemente” o balneário de Cancún, na Península de Yucatán.

O governador do Estado de Quintana Roo (que abrange parte da península), Felix Gonzalez Ocanto, afirmou que ventos de até 225 quilômetros chegaram a danificar prédios considerados a prova de furacões.

Em Cozumel, outro balneário turístico mexicano, as ruas ficaram inundadas e vários hotéis e casas foram parcialmente destruídos.

Espera-se que o Wilma permaneça sobre a Península de Yucatán por mais 30 ou 36 horas, segundo o meteorologista Alberto Hernandez, do Sistema Meteorológico Nacional do México.

‘Danos consideráveis’

O governador Ocanto disse que não há registro de vítimas, mas os danos materiais são consideráveis.

“A situação é muito crítica, muito difícil, este é um furacão muito potente e estamos apenas na metade do tempo que se calcula para o furacão passar”, disse Ocanto à BBC.

O governador assegurou que os moradores e turistas em abrigos públicos estão seguros, mas disse que provavelmente será necessário levar mais comida para os locais porque muitas pessoas não poderão voltar a suas casas.

O fato de o furacão estar se movendo muito lentamente – a cerca de 6km/h – preocupa as autoridades já que quanto mais tempo o sistema ficar próximo à terra, maior a destruição.

O centro do furacão permaneceu horas em cima de Cozumel, produzindo ventos que arrancaram árvores, cortaram linhas de eletricidade e destruíram janelas de resorts na pequena ilha que é um dos principais destinos turísticos do México.

Algumas áreas ficaram um metro abaixo d’água por causa das fortes chuvas.

As previsões indicam que de Yucatán, Wilma seguirá para o norte, na direção de Cuba e do estado americano da Flórida.

Assista a reportagem sobre a chegada do Wilma ao México

Em Cuba, foram evacuadas 370 mil pessoas como parte dos preparativos para enfrentar a tempestade

A tempestade já deixou pelo menos 13 mortes em sua passagem pela região, de acordo com a agência de notícias Associated Press.

Abrigos

De acordo com a repórter da BBC Mariusa Reyes, Cancún, um dos complexos turísticos mais visitados do México, parece uma cidade fantasma.

A repórter da BBC disse que a população de Cancún está muito preocupada com os estragos que Wilma pode causar, pois acabaram de enfrentar as conseqüências do furacão Emily, que passou por Yucatán em julho último.

Centenas de escolas interromperam suas atividades que suas instalações sejam usadas como abrigos.

O Wilma é um furacão de categoria 4 na escala usada para medir a força desse tipo de tempestade e está causando mal tempo em uma vasta área do Caribe.