Walter Santos analisa ascensão de Galdino ao 2º biênio: "Deixou o Governo em xeque" - WSCOM

menu

Política

01/02/2019


Walter Santos analisa ascensão de Galdino ao 2º biênio: “Deixou o Governo em xeque”

Jornalista e analista politico, Walter Santos

O jornalista Walter Santos analisa, nesta sexta-feira (1º), a eleição do deputado Adriano Galdino aos dois biênios na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

Segundo Walter, a eleição deixa o Governo em ‘xeque, pois  ‘identificou em parte da Base uma contraposição’ a sua orientação.

Leia:

‘O resultado das eleições na Assembleia da PB: causas e efeitos da ascensão de Adriano Galdino

A eleição do deputado estadual Adriano Galdino no segundo biênio na composição dos mandatos na Assembleia Legislativa do Estado por 23 a 13 em segundo escrutínio derrotando o deputado Hervázio Bezerra significou a grande novidade da disputa no Legislativo.

De cara, o resultado é encarado como derrota da postulação encaminhada à Base Aliada pelo governador João Azevedo, embora a realidade tenha natureza menos grave porque Adriano Galdino não é personagem de crises, ao contrário porque o “problema/solução” tenha caído em seu colo por falta de outra alternativa.

A CAUSA PRIMEIRA

A realidade posta só foi possível porque o deputado Tião Gomes construiu a novidade quando, ao manter a candidatura com Hervázio e ter recuado de última hora, deixou uma parte da Base Aliada atônita porque, como se viu, não aceitava Hervázio.

O inesperado surgimento de Adriano para o segundo biênio deixou o Governo em xeque porque, mesmo apoiando Hervázio, identificou em parte da Base uma contraposição em favor de um nome aliado sem a dureza usada por Tião Gomes ao não recuar da candidatura.

CAUSAS E EFEITOS

O governador João Azevêdo ouviu a todos da Base, mas não admitiu como atestara que havia uma resistência localizada ao nome de Hervázio.

A primeira votação derrotando o voto aberto já era um sinal de que havia problema. Insistir na manutenção da fórmula acabou se transformando em problema, agora sem mais como remendar.

A partir de agora, o Governo tem várias fórmulas de encarar. Uma delas é a retaliação, como se deu com Tião Gomes que, mesmo assim não recuou. O saldo mostra que a dureza nem sempre produz bons resultados.

A outra alternativa é se compor sem traumas com Adriano Galdino, personagem que obteve 100% dos votos no primeiro escrutínio.

Ou seja, expor o cenário nutrindo a crise com enfrentamentos não pode ser a melhor alternativa, se há outra opção menos cruel de reparar a realidade.

Mas fica a lição.

UMAS & OUTRAS

…O resultado já era temido pelo ex-governador Ricardo Coutinho quando soube que a “solução” encontrada fora construída por Azevedo com Ricardo Barbosa recebendo a Liderança de governo em troca do apoio a Hervázio.

…Waldson Souza foi o escalado para anunciar a Tião que ele perderia os cargos. Não surtiu efeito.

…Adriano Galdino teve papel forte ao não permitir que os votos fossem filmados pelo celular, como acertado.

ÚLTIMA

“O fole roncou no alto da Serra…”‘