Volante revelado com Neymar se aposenta aos 29 anos e vira padeiro - WSCOM

menu

Esporte

04/01/2019


Volante revelado com Neymar se aposenta aos 29 anos e vira padeiro

Foto: autor desconhecido.

Revelado no Santos ao lado de Neymar e Paulo Henrique Ganso e responsável por indicar o atacante André ao Peixe no início da carreira, ele anunciou a aposentadoria precoce dos gramados e agora trabalha numa padaria em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio.

“Eu faço tudo na padaria. Faço pão, meto a cara. Eu tive que aprender, né (risos). A padaria fica aqui no meu bairro e é de um amigo meu”, conta.

Ao GloboEsporte.com, Café contou que a decisão de parar veio após rodar por vários clubes pequenos nos últimos anos e viver de perto a realidade da maioria dos jogadores brasileiros. Conviveu com atrasos de salário e decidiu penduras as chuteiras após uma experiência frustrante no Paraíso, de Tocantins.

– Eu cansei de passar humilhação e covardia no futebol. Então, eu decidi parar, porque é difícil. No ano passado, eu fui jogar no Tocantins e não recebi nada até hoje e ainda voltei machucado. Os caras te oferecem mixaria, sabe? É muita humilhação. O futebol para os clubes pequenos é muito complicado – diz.

Café começou a jogar na base da Cabofriense-RJ e chamou a atenção do Santos, onde se destacou sempre como titular e colecionou títulos – como o bicampeonato paulista sub-20 -, na mesma geração de Ganso, Neymar, Felipe Anderson, Alan Patrick e Rafael Cabral, por exemplo.

Café atualmente trabalha numa padaria em São Pedro da Aldei-RJ; segundo ele, pão de coco é a especialidade da casa — Foto: Arquivo Pessoal

Ficou conhecido, inclusive, por “levar” o atacante André ao Peixe. Naturais de cidades vizinhas na Região dos Lagos do Rio – Café é de São Pedro e André de Cabo Frio -, a dupla atuou por um tempo nas categorias de base da Cabofriense.

Em 2008, Café indicou o antigo companheiro para o então técnico do sub-20 do Santos, Márcio Fernandes, que procurava um centroavante e acabou o contratando. A versão foi, inclusive, confirmada pelo treinador em 2016.

No entanto, ao contrário de muitos que despontaram na sua geração e do próprio André, Café ficou para atrás e, apesar de ter feito parte do grupo campeão paulista e da Copa do Brasil em 2010, pediu para ser emprestado ao Santo André em 2011 sem esperar por novas oportunidades.

– A única coisa que eu me arrependo foi ter saído do Santos para o Santo André. Foi a pior decisão da minha vida. Eu era para ter esperado. Não aguentei esperar, eu era moleque novo, queria jogar. Se eu tivesse ficado no Santos, creio que teria oportunidades. Porque os meninos que subiram no meu lugar tiveram. A minha saída abriu espaço – lamenta.

Café trabalha na padaria que pertence à família da sua esposa — Foto: Arquivo Pessoal

Café trabalha na padaria que pertence à família da sua esposa — Foto: Arquivo Pessoal

Depois de ser emprestado pelo Santos, Café teve o vínculo encerrado com o clube. Passou então a acumular passagens por times como Cabofriense, Tigres-RJ e Anapolina-GO. Chegou ainda a se revezar entre o futebol e “bicos” longe dos gramados – inclusive numa casa de shows.

Recorreu até mesmo a antigos companheiros no futebol, incluindo a André, hoje atacante do Grêmio. Mas sem sucesso.

– É difícil, cara, porque a gente tem contato, pede uma ajuda, uma indicação. Mas quem quer ajudar, ajuda. Como eu fiz pelo André, por outros amigos. É só correr atrás e ajudar. Pessoas que podem fazer alguma indicação, alguma coisa boba. Não é questão de dinheiro, mas a gente queria estar trabalhando. Fazer o quê?

Café na marcação de Giovanni, ídolo do Santos — Foto: Divulgação/ Santos

Café na marcação de Giovanni, ídolo do Santos — Foto: Divulgação/ Santos

Com o fim da carreira, Café vive agora uma realidade totalmente diferente daquela que imaginava e, apesar das lembranças de tudo aquilo que o futebol lhe proporcionou no período de Santos, não esconde a frustração por não ter se tornado tudo aquilo que prometia.

– A frustração é enorme. É um sonho que a gente tem que correr atrás. Mas a gente passa por tanta coisa que decide tomar a decisão de parar. Tenho muitos amigos que começaram comigo no Santos que também tomaram essa decisão. É porque não dá mais, você chega ao limite. A gente tem família, tem filho, esposa e casa e não dá para você trabalhar três meses e ficar nove em casa.

Café atuou ao lado de Neymar na base e nos profissionais — Foto: Divulgação/ Santos

Café atuou ao lado de Neymar na base e nos profissionais — Foto: Divulgação/ Santos

Globo Esporte