Vitalzinho diz que Ricardo ainda não desceu do palanque - WSCOM

menu

Política

21/04/2011


"Ricardo ainda não desceu do palanque"

Foto: autor desconhecido.

O senador Vital do Rego (PMDB-PB) afirmou nesta quinta-feira (21), um dia após o governador Ricardo Coutinho negar apoio do Governo do Estado ao Maior São João do Mundo 2011, que o governador “ainda não está maduro o suficiente para este tipo de convivência”. A afirmação se deu, de acordo com Vital, porque o governador negou o apoio ao São João pelo fato de Campina ser governada por um adversário político.

“Percebe-se, claramente, que o palanque da última eleição ainda não foi desmontado, infelizmente”, disse Vital, em artigo publicado em seu Blog, na internet, acessado através do endereço eletrônico www.vitalzinho.com.br. O Senador disse, entretanto, que não terá postura igual à do governador e que continuará tratando-o como aliado.

“De minha parte, digo que vou continuar trabalhando com o governador como aliado. Nesta terça-feira, dia 26, às 18h, estarei recebendo em meu gabinete, em Brasília, um Secretário de Estado, Ricardo Barbosa, mais dois membros do grupo de trabalho da bancada paraibana, os deputados federais Ruy Carneiro e Wellington Roberto. Vamos discutir uma política de desenvolvimento para a Paraíba”, afirmou

Ele criticou ações do novo governo que tendem a acentuar o grau de dependência da Paraíba para com Pernambuco e disse que vai atuar para neutralizar esta situação. “Vamos, por exemplo, buscar propostas concretas que possam fazer com que a Paraíba não continue sendo refém de Pernambuco, como vinha sendo e, agora, com o novo governador, dá mostras de que quer continuar a ser. É assim que deve ser. É assim que sempre farei e é assim que Campina Grande e a Paraíba esperam que seja”.

Veja o artigo, na íntegra:

Audiência de Veneziano com o governador: noves fora, nada

O encontro do prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rego com o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, foi cercado de muita expectativa. Primeiro, pela demora do governador em receber o prefeito campinense. Foram extensos 62 dias de muita ansiedade, por parte de toda a Campina Grande. Depois, pelos frutos que a audiência poderia render, considerando a atenção que Campina teve com o governador, na eleição.

Eu confesso que não tinha as melhores impressões e expectativas em relação à audiência, mas sempre demonstrava esperança e positivismos. Por conta disso, não me surpreendeu o fracasso do encontro: ao final, noves fora, nada. Foi assim que terminou.

Uma audiência como a que ocorreu na noite desta quarta-feira pressupõe ações práticas, efetivas. Encontro por encontro, apenas para tirar foto, não adianta. Do que ocorreu nas duas horas e meia de conversa, concluo que o governador ainda não está maduro o suficiente para este tipo de convivência. Percebe-se, claramente, que o palanque da última eleição ainda não foi desmontado, infelizmente.

O encontro não deveria ser encarado pelo governador como o de Veneziano com Ricardo, mas do Governador da Paraíba com o Chefe do Executivo de uma cidade que deu ao governante estadual dois terços dos votos válidos, na última eleição. E, partindo deste pressuposto, creio que atenção deva se pagar com atenção.

O que Veneziano queria, quando há 62 dias pediu a audiência, confirmada de véspera, num dia em que Vené tinha agenda marcada em São Paulo e teve que desmarcar tudo, para não correr o risco de ter de esperar por mais 62 dias, era um encontro de resultados.

Vené, numa atitude republicana, esperou os primeiros 30 dias do novo governo com o pensamento de quem deu uma trégua para o governador e, ao mesmo tempo, um período para que ele se adaptasse ao Estado. Aí veio o pedido da audiência, que demorou mais de dois meses para ser confirmada. O tamanho da espera de Veneziano e de toda a Campina Grande era o tamanho da ansiedade para ver o governador dizer que iria apoiar o maior evento turístico do Estado.

Mas o que se viu foi uma forma discriminatória de tratar a cidade que realiza o maior evento turístico da Paraíba, responsável por gerar emprego e renda não apenas para si própria, mas para toda a Paraíba. No final, vemos que, lamentavelmente, o governador tratou Campina Grande como adversária. Que pena. Que coisa pequena.

De minha parte, digo que vou continuar trabalhando com o governador como aliado. Nesta terça-feira, dia 26, às 18h, estarei recebendo em meu gabinete, em Brasília, um Secretário de Estado, Ricardo Barbosa, mais dois membros do grupo de trabalho da bancada paraibana, os deputados federais Ruy Carneiro e Wellington Roberto.

Vamos discutir uma política de desenvolvimento para a Paraíba. Vamos, de forma prática, discutir e apresentar situações concretas para nosso Estado. O Secretário de Ricardo e os dois colegas parlamentares não vem ao meu gabinete apenas para tomar o cafezinho que aqui fazemos – e que, aliás, é ótimo – mas para, efetivamente, agir.

Vamos, por exemplo, buscar propostas concretas que possam fazer com que a Paraíba não continue sendo refém de Pernambuco, como vinha sendo e, agora, com o novo governador, dá mostras de que quer continuar a ser. É assim que deve ser. É assim que sempre farei e é assim que Campina Grande e a Paraíba esperam que seja.

Vital do Rego
Senador

Notícias relacionadas