Vereadores presos no Conde são liberados e usarão tornozeleira eletrônica - WSCOM

menu

Policial

07/05/2019


Vereadores presos no Conde são liberados e usarão tornozeleira eletrônica

Vereador Naldo Cell sendo preso no Conde

Os vereadores do Conde, Ednaldo Barbosa, o ‘Naldo do Cell’, e Malbatahan Pinto, o ‘Malba de Jacumã’, passaram por Audiência de Custódia nesta terça-feira (7) e cumprirão medidas cautelares. Eles ficarão em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica. O juiz que responde pela Vara Única da Comarca de Conde, André Ricardo de Carvalho Costa ainda suspendeu os presos do exercício da função de vereador do Município. 

As condições estabelecidas foram: não se ausentar da própria residência sem prévia autorização do juiz competente; não mudar de endereço sem autorização do Juízo; não receber visitas, salvo de familiares de 1º, 2º e 3º graus e de seus advogados, visando evitar a ingerência de influência política no presente processo judicial; proibição de manter contato com qualquer funcionário público ou prestador de serviço do Município de Conde-PB; comparecer a todos os atos do inquérito e da instrução criminal, sempre que intimado.

Ao substituir a preventiva por prisão domiciliar, o magistrado considerou o direito dos custodiados à prisão especial antes da condenação definitiva, em razão dos cargos que exercem  e o teor da Portaria 02/2019, assinada pelo Juízo Militar do TJPB, que determinou a retirada dos presos civis com direto à prisão especial dos presídios militares. Considerou, ainda, a inexistência de cadeia pública no Município de Conde e que seria temerária a colocação dos presos em um Presídio como o do Róger.

Caso

 Naldo Cell e Malba de Jacumã foram presos na tarde desta segunda-feira (6)  em decorrência da Operação Cavalo de Tróia. Eles são investigados pelos crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro. 

A Operação Cavalo de Tróia, no Estado da Paraíba, investiga vários membros de casas legislativas de inúmeros municípios  que estariam usados pessoas para desviar recursos públicos. 

A Operação foi desencadeada pela  Polícia Civil da Paraíba, através da Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (DECCOR) e pelo Ministério Público da Paraíba, através do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (GAECO) e da Promotoria do Conde.

 Portal WSCOM