Vasco bate o Galo e confirma ascensão - WSCOM

menu

Mais Esporte

14/08/2005


Vasco bate o Galo e

Com o apoio de sua torcida, que lotou São Januário, o Vasco conseguiu uma importante virada em três minutos e bateu o Atlético-MG por 2 a 1 na tarde deste domingo, em São Januário, confirmando sua ascensão no Campeonato Brasileiro 2005. O time mineiro chega ao fundo do poço e é o novo lanterna da competição.

É a primeira vez desde 2001 que a equipe carioca vence três seguidas na competição nacional. Com bela atuação de Morais e um gol decisivo de Romário, a equipe chegou aos 24 pontos e subiu mais uma posição, ficando agora em 15°.

Após a chegada do técnico Renato Gaúcho, o Vasco venceu cinco vezes e perdeu três. Outro dado marcante é que, após a goleada histórica por 7 a 2 para o Atlético-PR, o Vasco venceu quatro de cinco partidas.

A defesa, porém, continua deixando a desejar. O Vasco levou gols em 18 dos 20 jogos até agora. Continua sendo a pior defesa da competição, com 46 tentos sofridos. Este número só não aumentou porque Marques perdeu um pênalti no primeiro tempo, chutando a bola pelo lado.

O Atlético-MG, por sua vez, completa a sétima rodada sem vitória. Com os três pontos conquistados pelo Paysandu no sábado, o time desce para a lanterna, com 13 pontos ganhos. Na sua terceira partida no comando da equipe mineira, Marco Aurélio só acumula derrotas.

A crise culminou com a invasão de um torcedor após o gol da virada vascaína. Rubens Cardoso era o alvo, mas quem acabou apanhando foi o próprio atleticano.

O Vasco encara agora o Paraná, no estádio Pinheirão, em Curitiba, domingo às 16h. No sábado, o Atlético-MG recebe o Juventude no Mineirão, também às 16h.

O jogo

Em ritmo lento, a partida começou com muitos erros de passe e nenhuma criatividade. O controle da posse de bola era do Vasco, mas a equipe da casa só levou perigo aos 22min, quando Alex Dias deu passe na medida para Romário. Livre no meio da área, o atacante não dominou e Danrlei fez tranqüila defesa.

Aos 26min, Rubens Cardoso se livrou de Claudemir, entrou na área pela esquerda e foi derrubado por Osmar. Pênalti que Marques cobrou no lado direito de Roberto, rasteiro. A bola acabou saindo rente à trave, fazendo com que a torcida vascaína gritasse o nome do jogador, que já vestiu a camisa do Vasco em 2003.

O lance mudou o panorama da partida e o Atlético-MG se lançou ao ataque, apostando em jogadas pelas laterais e cruzamentos para a área, como na falta cobrada por Fábio Baiano, aos 42min. Henrique cabeceou rente ao travessão. O Vasco tentava sem sucesso os contra-ataques, com Morais e Fernandinho, que não conseguiam imprimir velocidade à equipe.

“Gostei do primeiro tempo, mas poderíamos ter aberto o placar e jogar na frente é sempre melhor”, disse o técnico Marco Aurélio na saída para os vestiários no intervalo.

Atendendo aos pedidos do comandante, Rubens Cardoso avançou pela esquerda logo no primeiro minuto da segunda etapa, após passe de Marques. O lateral entrou na área, cortou para dentro driblando Ciro e chutou. A bola ainda desviou no zagueiro e enganou Roberto, fazendo 1 a 0 para os mineiros.

Animado, o Atlético-MG foi ao ataque e teve boas chances de aumentar, como a que Marques arriscou de pé direito, dentro da área, aos 10min, para boa defesa do goleiro vascaíno.

Aos poucos, porém, o Vasco equilibrou as ações. Aos 20min, sentindo o crescimento do adversário, Marco Aurélio tirou Luís Mário, um atacante, e colocou Rafael Miranda, um volante. O time mineiro congestionava o meio campo e impedia qualquer tipo de reação por parte do rival.

Sem conseguir penetrar, o empate, então, veio de um chute da intermediária. Aos 29min, após linda jogada de Élber com um chute sem-pulo e bela defesa de Danrlei, Morais dominou e arriscou de canhota, de longe, e surpreendeu o goleiro do Atlético-MG.

Aos 32min, Alex Dias avançou pela direita e deu passe em profundidade para Morais. Dentro da área, o meia cruzou e Romário, de carrinho, completou para as redes na segunda trave. Após assistir à virada do time do Rio, um torcedor do Atlético invadiu o campo e tentou agredir o lateral Rubens Cardoso, mas acabou levando uma surra dos atleticanos. A polícia teve que entrar em campo e dominar a situação.

Élber, após bela atuação em pouco mais de 10min, acabou expulso pelo segundo cartão amarelo, aos 42min. Aos 43min, Rodrigo Fabri fez falta dura em Romário, no meio campo, e também recebeu o vermelho. Sem poder de reação, o Atlético acabou caindo diante de um Vasco embalado, empurrado pela sua torcida e em paz com a ascensão no Brasileiro.

VASCO 2×1 ATLÉTICO-MG

Vasco

Roberto; Claudemir, Luciano (Élber), Éder (Ciro) e Diego; Ygor, Osmar, Morais e Fernandinho (Róbson Luiz); Alex Dias e Romário

Técnico: Renato Gaúcho

Atlético-MG

Danrlei; Evanílson, Henrique, Lima e Rubens Cardoso; Walker, Ataliba, Amaral e Fábio Baiano (Quirino); Luís Mário (Rafael Miranda) e Marques

Técnico: Marco Aurélio

Local: estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Luís Marcelo Cansian (SP)

Auxiliares: Giovani Canzian e Nilson Monção (ambos de SP)

Cartões amarelos: Henrique, Fábio Baiano (A), Élber (V)

Cartões vermelhos: Élber (V), Rodrigo Fabri (A)

Gols: Rubens Cardoso, a 1min, Morais, aos 29min, Romário, aos 32min do segundo tempo

Notícias relacionadas