Vasco amarra, sofre, mas empata com Ceará e escapa do rebaixamento - WSCOM

menu

Futebol

03/12/2018


Vasco amarra, sofre, mas empata com Ceará e escapa do rebaixamento

Placar sem gols no Castelão tira chance de Sul-Americana por parte do Alvinegro, que comemora permanência. Time de Valentim tira caminhão das costas com apito final

Foto: autor desconhecido.

No Castelão lotado, Ceará e Vasco não saíram do zero na última rodada do Brasileirão 2018 e evitaram tragédias maiores. O Alvinegro, que já havia garantido a permanência na rodada anterior, perdeu a chance de se classificar para Sul-Americana, mas nada que frustrasse a torcida. O Cruz-Maltino seria rebaixado caso sofresse um gol e tirou um caminhão das costas após o apito final.

FESTA NA CHEGADA
​Livre do rebaixamento e buscando vaga na Sul-Americana de 2019, a torcida do Ceará esgotou os ingressos e fez festa na chegada do time ao Castelão. Com direito a Lisca Doido em cima do ônibus e homenagens ao atacante Arthur, fechado com o Palmeiras, antes mesmo da bola rolar. A pressão durou pouco: o Vasco, mesmo recuado, conseguiu equilibrar o jogo logo de início. Mesmo com o empate e sem a vaga, a torcida alvinegra saiu contente com a campanha no Brasileirão.

PODERIA SER BEM PIOR…
O empate em 0 a 0 deixou os dois times na parte de baixo da tabela, na ‘zona morta’. Mas, pelas circunstâncias, as duas torcidas comemoram o ponto conquistado. O Ceará chegou a ficar 27 rodadas na zona de rebaixamento e o Vasco corria sérios riscos de terminar o campeonato entre os quatro últimos do Brasileirão. No fim da partida, ambos pareciam gastar tempo, satisfeitos com o fechamento da temporada. Nada de comemorações por parte do Vasco, mas as expressões dos atletas após os 90 minutos deixa claro que poderiam ficar marcados negativamente na história do clube. Tarde de fortes emoções, maioria ruins, mas… poderia ser bem pior.

RECOMEÇO
A temporada bem abaixo do Vasco certamente terá consequências no elenco. A permanência evita maiores problemas financeiros, mas o desempenho de boa parte do grupo que deixou a desejar não será esquecido. A começar pelo técnico Alberto Valentim, rejeitado por grande parte da torcida e com contrato apenas até este mês. Mais cinco atletas têm contrato apenas até este ano e podem ser dispensados. Os garotos da base, aflitos no banco de reservas, devem ganhar mais espaço em 2019. E Marrony, que perdeu chance incrível no fim da partida, agradece por não ter virado vilão. Que os próximos meses sejam um recomeço para o Vasco. Aos torcedores, uma dica: esfriem a cabeça nas férias do futebol!

 


Por LanceNet