Vampiro da Tuiuti desfila sem faixa presidencial na fantasia - WSCOM

menu

Política

18/02/2018


Vampiro da Tuiuti desfila sem faixa presidencial na fantasia

Historiador que representou 'vampiro neo-liberalista' participou do Desfile das Campeãs, na Sapucaí, neste domingo (18). Escola foi vice-campeã do carnaval carioca.

Foto: autor desconhecido.

Protagonista de um dos momentos mais comentados do carnaval carioca, o personagem ‘vampiro neo-liberalista’, da vice-campeã Tuiuti, voltou à Sapucaí para o Desfile das Campeãs neste domingo (18) sem a faixa presidencial na fantasia.

Questionado pelo G1 sobre o uso do adereço pouco antes de entrar no sambódromo, o professor de história Léo Morais, que encarnou o personagem, primeiro disse que não sabia se seria autorizado pela escola a usar a faixa presidencial novamente. “Não sei se vou usar porque a escola é uma instituição. Se eles me autorizarem, eu uso de boa. É um vampiro com faixa presidencial que simboliza um sistema que assola o povo”, explicou.

Depois, no entanto, disse que não desfilaria com a fantasia completa porque teria perdido a faixa no fim da apresentação do último domingo (11). “Eu perdi a faixa no último desfile. Foi emoção”, justificou. A assessoria da escola informou que depois do desfile oficial Morais jogou a faixa dentro do caminhão e ela desapareceu.

Morais não admitiu abertamente que o vampiro é o presidente Michel Temer. “A gente está tentando o tempo inteiro desvincular de partido politico. O próprio vampiro é um vampiro que tem uma faixa presidencial, mas ele representa um sistema”, disse.

Leo Morais, sobre repercussão do desfile da Tuiuti: 'assustador' (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

Leo Morais, sobre repercussão do desfile da Tuiuti: ‘assustador’ (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

‘Assustador’

Momentos após o desfile da Tuiuti no último domingo, Morais viu sua imagem aparecer por todos os lados. Questionado pelo G1 sobre a repercussão que teve o personagem para o desfile da escola, ele brincou: “É assustador”.

“É muito bacana a gente fazer uma coisa que as pessoas reconhecem. Elas olharam, algumas se identificaram positivamente, algumas negativamente. É bacana, mas é assustador também. Tive o Facebook invadido, repercussão na imprensa internacional”, disse Léo ao G1 antes do desfile das campeãs.

Antes do desfile no último domingo, Léo já havia conversado com o G1sobre a representatividade do personagem. “Sou professor de história e o protesto tem tudo a ver comigo. Esse protesto é a minha cara. Eu acho que é uma retomada dos enredos críticos. A gente está num momento que tem que gritar mesmo”, afirma.

Leo Morais, o vampiro neo-liberalista da Tuiuti (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

Leo Morais, o vampiro neo-liberalista da Tuiuti (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

O professor de história também comemorou a conquista do vice-campeonato para a escola e disse ter ficado surpreso com o resultado.

“Foi maravilhoso! Nem nos melhores sonhos a gente imaginava isso. Foi um conjunto de coisas que aconteceram. O público recebeu muito bem, a escola desfilou muito bem”, disse ele.

Fantasia do 'Vampiro neoliberalista' durante o desfile da Paraíso do Tuiuti (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

Fantasia do ‘Vampiro neoliberalista’ durante o desfile da Paraíso do Tuiuti (Foto: Marcos Serra Lima/G1

Críticas na Avenida

Com o enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, a Paraíso do Tuiuti, do carnavalesco Jack Vasconcelos, levou à Sapucaí críticas à reforma trabalhista em seu desfile na madrugada de segunda (12).

No último carro, batizado de “Neo tumbeiro”, o destaque no alto foi um “presidente vampiro” do neoliberalismo, representado pelo professor de história Léo Morais. Assistente do carnavalesco, ele não admite abertamente que o vampiro representava Michel Temer, mas afirmou que é a favor dos protestos contra o presidente.

Outra crítica do carnavalesco foi colocar na avenida uma ala com fantasias de “manifestantes fantoches”, ironizando os que foram às ruas vestindo camisas do Brasil pedindo impeachment.