Valério: Bancos emprestavam porque Dirceu era garantia - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

05/08/2005


Valério: Bancos emprestavam porque Dirce

Depois de um depoimento cheio de lacunas à CPI dos Correios, o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza começa a falar. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, ele afirmou que o deputado José Dirceu (PT-SP), ex-ministro chefe da Casa Civil, era o “avalista político” de todos os empréstimos bancários feitos em favor do PT, mas que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não sabia de nada.

“Delúbio nunca me contou nada com o nome dele.” Valério detalha que os dirigentes dos bancos BMG e Rural sabiam que Dirceu acompanhava as negociações dos financiamentos. ” Por que você acha que os bancos emprestaram? Algum banqueiro deste País daria o aval para Delúbio e Valério? Os bancos só deram aval porque sabiam que por trás tinha um conforto, uma garantia”, argumenta, indicando que esse conforto era o então todo-poderoso chefe da Casa Civil.

Valério afirma que vai falar em conta-gotas. “Agora vou contar tudo o que sei, mas não de uma vez. Vou contar devagarinho e vou fazer um estrago, um barulhão”. Ele diz que Dirceu era avisado pelo ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, sempre que um novo financiamento saía.

O ex-ministro chegou inclusive a ter encontros com dirigentes do BMG e do Rural. Segundo Valério, Dirceu ficava sabendo passo a passo das transferências de dinheiro feitas aos diretórios do PT e aos partidos aliados por determinação do ex-tesoureiro.

“Delúbio tinha fidelidade canina e não fazia nada sem conversar com Dirceu”, diz. Os repasses começaram a ser feitos em 26 de fevereiro de 2003 e totalizaram, segundo Valério, R$ 55,8 milhões – valor igual ao que o empresário tomou emprestado no BMG e no Rural com aval do ex-tesoureiro.

“Nos dois últimos anos, eu fui a pessoa mais íntima do Delúbio. Ele me disse que Zé Dirceu sabia das dívidas do partido, que Zé Dirceu sabia dos compromissos com os outros partidos da base. Delúbio assumiu mais compromissos do que realmente poderia. Além de Zé Dirceu, todo mundo na cúpula do PT sabia dos empréstimos de Delúbio e das transferências para diretórios do PT e para partidos aliados”, afirma o homem que vem sendo comparado ao empresário PC Farias.

Notícias relacionadas