UFCG emite nota, repudia cortes do MEC e diz que medidas podem afetar formação de discentes - WSCOM

menu

Paraíba

08/05/2019


UFCG emite nota, repudia cortes do MEC e diz que medidas podem afetar formação de discentes

Com o bloqueio de 30%, a Universidade afirma ficarão comprometidos a conservação, limpeza e a segurança das instituições; a formação do discente de graduação será afetada negativamente e a pós-graduação ficará inviabilizada.

Na imagem, a Universidade Federal de Campina Grande

A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) divulgou, nesta quarta-feira (8), uma nota contra o corte de 30% para as instituições de ensino superior públicas anunciadas pelo Governo Bolsonaro.

 

De acordo com a nota, o corte comprometerá a conservação, limpeza e a segurança das instituições; a formação do discente de graduação será afetada negativamente; a pós-graduação restará inviabilizada, sobretudo nas ciências humanas e nas pesquisas de longo alcance, nas áreas de saúde e de tecnologia, que não contam, no prazo imediato, com o apelo do mercado, mais voltado para o interesse pragmático.

 

LEIA MAIS: UFPB prevê colapso e adere a paralisação nacional que acontece no próximo dia 15

 

Confira nota da UFCG na íntegra:

 

O bloqueio de 30% no custeio, como anunciado pelo Governo Federal, irá criar dificuldades insuperáveis para as universidades brasileiras. Com um orçamento de capital minguado, em 2019 da ordem de 10% do orçamento destinado em 2013, quando se completava o processo de expansão da maioria das universidades, resta às instituições de ensino sobreviverem, basicamente, das verbas de manutenção.

 

Com o bloqueio de 30%, estarão comprometidas a conservação, a limpeza e a segurança das instituições; a formação do discente de graduação será afetada negativamente; a pós-graduação restará inviabilizada, sobretudo nas ciências humanas e nas pesquisas de longo alcance, nas áreas de saúde e de tecnologia, que não contam, no prazo imediato, com o apelo do mercado, mais voltado para o interesse pragmático.

 

Com inegável prejuízo para as atividades acadêmicas e para a manutenção da universidade, o bloqueio não retira, felizmente, os recursos para as ações de assistência direta ao estudante – restaurante ou auxílio-alimentação, residência ou auxílio-moradia e demais programas voltados para os estudantes, até aqui mantidos no orçamento de 2019.

 

Por essa razão, a Reitoria da UFCG vem expressar sua preocupação com o futuro da instituição; vem solicitar que o Ministério da Educação (MEC) reveja essa expectativa negativa e encare o financiamento público da formação acadêmica e da pesquisa científica não em termos de política econômica, mas em termos de patrimônio cultural e científico que o país deve construir, preservar e se esforçar sempre para ampliar.

 

Por fim, cumprindo o dever de manter informada a comunidade acadêmica da UFCG, a Reitoria apela para a solidariedade da comunidade em geral nesse esforço para manter, integralmente, o orçamento destinado à universidade, como única forma desta continuar prestando, com qualidade e competência, os serviços que oferece à população.

 

Campina Grande, 7 de maio de 2019.
Vicemário Simões
Reitor