Trump critica redes sociais por 'silenciar milhões de pessoas' - WSCOM

menu

Internacional

24/08/2018


Trump critica redes sociais por ‘silenciar milhões de pessoas’

Sem mencionar nomes, presidente disse que 'pessoas precisam descobrir o que é real e o que não é, sem censura'

Foto: autor desconhecido.

O presidente dos EUA, Donald Trump, criticou empresas de rede social nesta sexta-feira (24) pelo Twitter, por silenciar “milhões de pessoas” no que ele chamou de ato de censura.

Sem mencionar nomes de empresas, o presidente disse que “as pessoas precisam descobrir o que é real e o que não é, sem censura”.

Veja o tuíte de Trump:

“Gigantes da mídia social estão silenciando milhões de pessoas. Não podem fazer isso mesmo que isso signifique continuar ouvindo notícias falsas como a CNN, cuja audiência sofreu gravemente. As pessoas têm que descobrir o que é real e o que não é, sem censura!”

Donald J. Trump

@realDonaldTrump

Social Media Giants are silencing millions of people. Can’t do this even if it means we must continue to hear Fake News like CNN, whose ratings have suffered gravely. People have to figure out what is real, and what is not, without censorship!

Contas apagadas

Na última terça-feira, as empresas Facebook e Twitter anunciaram que apagaram mais de 900 contas de suas redes sociais que tentavam espalhar desinformação. Segundo as empresas, elas estavam ligadas a uma empresa estatal do Irã.

Os perfis, páginas e grupos começaram a ser criados em 2011, segundo a empresa de Mark Zuckerberg, e estavam presentes tanto no Facebook quanto no Instagram, sua rede social de fotos. As contas falsas também compraram propagandas na plataforma e organizaram eventos.

O Facebook também divulgou que apagou algumas contas com origens russas, sem relação às iranianas. Em julho, a empresa também apagou outras 32 contas falsas sob a suspeita de tentarem influenciar as eleições parlamentares americanas, que acontecem em novembro.

Visibilidade no Twitter

Em julho, Trump acusou, sem fornecer evidências, o Twitter de restringir a visibilidade de políticos republicanos proeminentes em sua rede social.

“Twitter está ‘banindo para a sombra’ republicanos proeminentes. Nada bom. Nós iremos investigar essa prática discriminatória e ilegal de uma vez por todas”, escreveu o presidente republicano, sem mencionar qual lei ele acredita que está sendo violada.

G1

Notícias relacionadas