Treze goleia Campinense e se mantém na liderança do Paraibano 2011 - WSCOM

menu

Futebol

10/04/2011


Treze goleia Campinense no Amigão

Clássico

Foto: autor desconhecido.

Em mais um clássico recheado de emoções e muita provocação, que resultou em duas expulsões, o Treze manteve sua supremacia a voltou a vencer o rival Campinense, desta feita de goleada por 4 a 1, no estádio Amigão, em Campina Grande, pela 14ª rodada do Campeonato Paraibano. Anderson, Warley, Ferreira e Cléo, marcaram para o Galo, cabendo a Nilson Sergipano, de pênalti, descontar para a Raposa.

Com o resultado do 379º clássico da história entre os clubes, o time alvinegro não só manteve a invencibilidade, como retomou a liderança isolada, consequentemente vaga antecipada no cruzamento olímpico, com 34 pontos.

Na vice-liderança vem o CSP com 33, também já classificado. O Campinense segue na terceira colocação, com 25, mas segue ameaçado por Botafogo e Sousa.

Na próxima rodada, a Raposa vai receber o Auto Esporte no Amigão, quarta-feira, enquanto que o Galo encara o Sousa no Marizão.

O JOGO

Assim como tem acontecido nos últimos confrontos, Treze e Campinense iniciaram o clássico a todo vapor. Bem mais estruturado tecnicamente, coube ao Alvinegro ditar as normas nos primeiros minutos de partida. Tanto é verdade q ue, com 26 minutos de bola rolando, já vencia o Rubro-negro por 2 a 0.

O primeiro gol saiu depois de uma boa trama do ataque, em que Warley tabelou com Cléo, que chutou, o goleiro Pantera deu rebote e o zagueiro Anderson apareceu para cabecear para dentro do gol, aos 24 minutos. Treze 1 a 0 Campinense.

A torcida galista, que inaugurou o seu bandeirão, ainda comemorava, quando o time ampliou a vantagem. Outra vez o ataque funcionou com Cléo, que passou para Ferreira e este cedeu a Warley, que driblou Pantera e mandou para dentro do gol raposeiro, aos 26 minutos. Treze 2 a 0 Campinense.

O segundo tento marcado pelos trezeanos parece desnortear o rival, que tenta a todo custo chegar ao gol de Marcello Galvão, mas sem sucesso. O Galo segue melhor em campo.

Aos 39 minutos, o lateral Paulinho Potiguar sofre contusão e é substituído por Tiago Almeida. Enquanto isso, o Campinense tenta sair para o intervalo com a diminuição do placar, mas nada dá certo. Em escanteio, Elvis bate na área, mas André Lima corta de cabeça, aos 44 minutos.

Em outro bom lance, Marcelinho acerta a trave e na volta, a zaga bota para escanteio. Na sequência, Iran tenta, mas chuta para fora.

 

SEGUNDO TEMPO

Na volta para o segundo tempo, o Campinense volta com duas mudanças para tentar mudar o panorama do clássico. Jonatas e Samir entram nas vagas de Iran e Elvis, respectivamente. No Galo, o técnico Marcelo Vilar não muda.

Mas a tática raposeira parece não atrapalhar os planos do técnico Maurício, pois o volante Flavinho, que já tinha cartão amarelo, comete falta em um atacante alvinegro e expulso pelo árbitro Adalberto Moésia, aos cinco minutos.

Para tentar reforçar o meio-campo, o comandante rubro-negro coloca Thiago Trindade em lugar de Kaká, aos nove minutos. Em seguida, o time conseguiu diminuir, em lance em que o zagueiro André Lima coloca mão na bola na área e o árbitro assinala penalidade máxima. Nilson Sergipano vai para cobrança e converte com categoria, aos 14 minutos. Treze 2 a 1 Campinense.

Depois de tomar o gol, o técnico Marcelo Vilar resolver sacar André Lima, que estava “pendurado”, para entrada de Vaninho. Já a Raposa se anima e mesmo com um jogador a menos, tenta chegar ao empate.

Mas o Galo segue bem na partida. Em contra-ataque, Doda chuta de fora da área e quase marca, aos 20 minutos. No lance seguinte, o atacante Cléo também tenta, mas sem perigo. A resposta do Campinense veio em seguida com Thiago Trindade, que chutou forte, assustando o goleiro Marcello Galvão, aos 22 minutos.

O Treze muda. Sai Warley para entrada de Vavá. No Rubro-negro as coisas se complicam, pois o zagueiro Maurício Gaúcho não se recupera da contusão e deixa o campo, deixando assim o time com nove em campo, uma vez que Simões havia feito as três substituições.

Em vantagem, o Galo vai tentando consolidar o placar. Mas a Raposa segue viva e quase empata com Samir, que chutou de fora da área, obrigando goleiro Marcello Galvão a fazer bela defesa, aos 30 minutos. No entanto, as coisas se complicam ainda mais para o time da Bela Vista, pois o zagueiro Emerson, que já tinha o amarelo, comete falta em Cléo na entrada da área e acaba expulso. O atacante alvinegro reclama de pênalti.

Na cobrança de falta, Ferreira bate bem e consolida a vitória aos 44 minutos para delírio da torcida trezeana. Treze 3 a 1 Campinense. Após a marcação do gol, o lateral tirou a camisa foi até o banco de reservas do Rubro-negro comemorar, provocando a revolta dos jogadores, formando-se a confusão. Acalmados os ânimos, o jogo seguiu, tempo em que Cléo marcou mais um, fazendo Treze 4 a 1 Campinense, aos 51 minutos.

Ficha Técnica
Treze
Marcello Galvão, Ferreira, Anderson, André Lima (Vaninho) e Paulinho Potiguar (Tiago Almeida); Nata, Weverson, Doda e Celico; Cléo e Warley (Vavá). Técnico – Marcelo Vilar.
Campinense
Pantera, Iran (Jonatas), Emerson, Maurício Gaúcho e Serginho; Nilson Ricardo, Flavinho, Kaká (Thiago Trindade) e Elvis (Samir); Nilson Sergipano e Marcelinho. Técnico – Maurício Simões
Árbitro – Adalberto Moésia
Assistentes – Marcio Freire e Cleber Camelo
Gols – Anderson (T), aos 24min; Warley (T), aos 26min do 1º tempo; Nilson Sergipano (C), aos 14min; Ferreira (T), aos 44min;Cléo, aos 51min do 2º tempo
Cartão amarelo – Iran, Emerson, Flavinho, Thiago Trindade (C), Weverson, Paulinho Potiguar, Doda, André Lima, Cléo (T)
Cartão vermelho – Flavinho, Emerson (C)

Notícias relacionadas