Trabalhadores rurais paraibanos participam do Grito da Terra Brasil 2008 em Bras - WSCOM

menu

Paraíba

10/05/2008


Trabalhadores rurais paraibanos particip

Uma comitiva com 52 lideranças do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) da Paraíba segue neste sábado, 10, para Brasília, onde participam do Grito da Terra Brasil 2008, que acontece de 12 a 16 de maio, na Capital Federal. O grupo se reunirá as representações de todo o país, para uma grande mobilização que aguardará as respostas do Governo Federal para as reivindicações do GTB 2008.

O presidente da Fetag-PB, Liberalino Ferreira de Lucena, explica o Grito da Terra Brasil é um dos eventos de maior repercussão da categoria, e que este ano deverá reunir cerca de 6000 trabalhadores e trabalhadoras rurais de todo o Brasil, com o objetivo de cobrar ações do Governo Federal para os principais problemas enfrentados pelo setor.

“Desde a última terça-feira (06), quatro diretores da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba (Fetag-PB) integram a comissão que discute com ministros e representantes do Governo Federal os 59 pontos da pauta de negociação”, disse.

A comissão paraibana é formada pela coordenadora de Mulheres, Maria das Neves do Nascimento (Dona Lia); os secretários de Assalariados, João Antonio Alves (João Lau); e de Idosos, Maria Adelino da Silva; e o 2º vice-presidente, Paulo Medeiros Barreto.

Retrospectiva – No dia 15 de abril, o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Manoel dos Santos, entregou ao presidente Luis Inácio Lula da Silva a pauta com os 59 itens de reivindicações do Grito da Terra Brasil 2008. Manoel dos Santos estava acompanhado de uma delegação composta por diretores da Contag e representantes de quinze Fetags do país.

A negociação das dívidas da agricultura familiar foi destacada por Manoel dos Santos durante a apresentação da pauta. “Queremos tratamento especial para os agricultores familiares e a individualização das dívidas”, propôs.

O presidente da Contag também alertou o presidente Lula para desvios no programa do biodiesel e indicações políticas no Incra. “A soja está sendo privilegiada como matriz do biodiesel e as Superintendências do Incra estão sendo tomadas por políticos que não conhecem o assunto e não têm compromissos com a reforma agrária”, denunciou.

Lula disse que a divisão de cargos entre a base aliada faz parte do jogo democrático. No entanto, garantiu que a substituição de superintendentes do órgão em alguns estados não vai mudar a política de implementação da reforma agrária traçada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

Na ocasião, Lula convidou a Contag para fazer um inventário sobre os problemas do biodiesel e apresentar propostas para a política de segurança alimentar do Governo Federal. Também anunciou a criação de uma subsidiária da Petrobrás para tratar exclusivamente do biodiesel e garantiu que os representantes da agricultura familiar participarão ativamente desta empresa.