Julian Lemos: "antes de grandes projetos se faz indispensável abolir a cultura da corrupção instalada" - WSCOM

menu

Política

04/01/2019


Julian Lemos: “antes de grandes projetos se faz indispensável abolir a cultura da corrupção instalada”

Foto: autor desconhecido.

Por Walter Santos/ Portal WSCOM

O deputado federal Julian Lemos (PSL) anda motivado a debater grandes projetos e ações para o Nordeste brasileiro em particular, mas considera fundamental que os brasileiros entendam que antes da implantação de grandes obras o Governo Bolsonaro precisa conhecer e estancar a cultura da corrupção impregnada, segundo ele, em todas as faixas do Serviço Público – Governos Federal, Estadual e Municipal – onde perdura a mania de desvios de recursos públicos.

– A sociedade brasileira e do Nordeste, em particular, se impacienta cobrando obras e medidas urgentes, mas antes de tudo se faz indispensável que o Governo Bolsonaro conheça a realidade dos esquemas  forjadores de muitos desvios processados nos vários níveis- acentuou.

Julian Lemos não teme retaliações de quem quer que seja flagrado nessa esquematização, mas se disse escandalizado como o alto nível de corrupção nas várias instâncias, onde recursos de emendas parlamentares chegam até a 40% de desvios ao se concretizar nos municípios.

– Este é o grande trabalho a que se propõe o presidente Jair Bolsonaro porque encarando e combatendo a cultura de desvios permanentes de recursos públicos vai existir dinheiro para grandes e continuadas obras – declarou.

DEFENSOR DO NORDESTE  – Julian Lemos se credenciou nos últimos tempos como aliado de Bolsonaro por uma série de motivações, entre elas o alto nível de confiança depositado para gerar as condições partidárias e legais de elegibilidade do presidente.

Mas seu alvo é o Nordeste brasileiro, região que ele considera alvo de líderes políticos comprometidos com a dependência dos cidadãos aos favores que a elite política impõe.

– O Nordeste precisa saber da realidade em que a população se vê diante de vícios e desvios que só fazem manter a dependência política em troca de favores – afirmou ele para acrescentar:

– De certa forma me sinto solitário nesta missão de mudar conceitos e construir meios éticos para libertar nosso eleitorado com vida digna – completou.

Para ele, seu mandato será dedicado a trabalhar pelo Nordeste a partir dos conceitos de nova política sem  dependência de favores, entretanto, produzindo grandes ações e obras estancando os desvios de recursos públicos.