Blog de WS explica como a saída de Adenilson no BID pode afetar os U$ 100 milhões do projeto - WSCOM

menu

Política

01/12/2018


Blog de WS explica como a saída de Adenilson no BID pode afetar os U$ 100 milhões do projeto

O novo texto do Blog de Walter Santos traz neste sábado (1°) detalhes da nova crise no projeto do Banco Internacional de Desenvolvimento (BID), “Cidades Sustentáveis”

Foto: autor desconhecido.

O novo texto do Blog de Walter Santos traz neste sábado (1°) os detalhes da nova crise no projeto do Banco Internacional de Desenvolvimento (BID), “Cidades Sustentáveis”, com saída do auditor Adenilson Ferreira, que em cinco anos, treinou toda coordenação do processo, sabendo como mexer com os U$ 100 milhões e podendo inclusive afetar nesta fase final.

Saiba os detalhes:

Luciano entra em dezembro mexendo na equipe do BID, gera saída de Adenilson e pode comprometer projeto

Um fato real e confirmado na esfera da Prefeitura de João Pessoa promovido pelo prefeito Luciano Cartaxo de mudar o comando executivo do Projeto do BID “Cidades Sustentáveis” tirando a coordenação do auditor e até ex-secretário Adenilson Ferreira pode provocar alta crise na conjuntura da PMJP para fora podendo até comprometer o processo nesta reta final .

O auditor e ex-secretário confirmou ao Portal WSCOM que está fora do projeto e vai buscar novas ações estratégicas, sobretudo diante da Reforma Tributária adiante.

Aliás, em contato com o portal, o Secretário de Comunicação, Josival Pereira, não confirmou a permanência de Adenilson Ferreira na coordenação, mesmo dizendo que ele se mantém na equipe pela condição de auditor da Prefeitura.
Como se diz lá na Torre, a meia conversa de Josival reforça a decisão irrevogável do auditor de estar fora do projeto.

A CAUSA DA CRISE

Desde 2013, Adenilson tem conduzido o projeto de elaboração e captação com uma equipe treinada há cinco anos pelo BID. Tanto ele quanto os técnicos foram treinados no Exterior – em Washington, Santander, Alemanha e Argentina – Rosário foi a primeira cidade – construindo um todas as etapas complicadas porque banco é muito exigente com regras rígidas, em inglês , espanhol, etc.

Só que, na semana finda, o prefeito Luciano Cartaxo informou que Adenilson estaria na coordenação, mas a execução seria conduzida por duas consultoras da mais alta confiança do prefeito. Elas são superpoderosas na PMJP e comando de tudo na edilidade.

Adenilson se insurgiu e formalizou sua saída em caráter irrevogável.

O problema é que no BID a saída do auditor foi recebida negativamente e com temor sobre a execução do projeto em si dado a alta complexidade para se tocar um cronograma com o rigor do banco.

JOSIVAL CONFIRMA

O secretários de Comunicação confirmou:

– Olha, é preciso distinguir as coisas: uma é a parte de preparação do projeto a outra é de execução dele, portanto, esta é a realidade”, completou.

Ele não confirmou Adenilson Ferreira na coordenação, agora sob o comando de Aline e Ivla – duas ex-consultoras da empresa Falconi, nos últimos anos responsáveis pelo comando das contas do Executivo municipal.

Elas já foram responsáveis pela saída de diversos secretários da PMJP, o último Adenilson Ferreira.

PROBLEMAS LÁ ATRAS

As consultoras superpoderosas não evitaram que a PMJP tenha perdido de executar R$ 286 milhões no projeto do BRT, cujos recursos foram repassados à Caixa Econômica Federal, mas devolvidos por problemas nos projetos.

O Portal WSCOM teve acesso esta semana ao cronograma dos recursos repassados e devolvidos por falta de projetos.

UMA CRISE DESNECESSÁRIA

Ao perder o auditor na coordenação, o prefeito passa a conviver com um clima de crise em estado de repercussão muito além do Paço Municipal podendo até comprometer a execução do projeto em face das imensas exigências do BID.

Virou um problemão.