Carlos Fábio: "nosso compromisso é resgatar a decência, a honra da palavra e as lutas em favor de conquistas da OAB" - WSCOM

menu

Paraíba

17/11/2018


Carlos Fábio: “nosso compromisso é resgatar a decência, a honra da palavra e as lutas em favor de conquistas da OAB”

Candidato pela Chapa 5, Carlos Fábio

O advogado Carlos Fábio, candidato a presidente da OAB/PB no atual processo eleitoral, declarou em entrevista ao Portal WSCOM, que está convencido de que os advogados paraibanos andam decididos a construir uma nova fase na Ordem com compromissos com a verdade, a decência e as lutas por conquistas fundamentais desprezadas pelo atual presidente Paulo Maia.

“Convivo há anos com a necessidade profissional e humana de nos adaptarmos com os novos processos e cultura do mundo, ultimamente muito afetado pela tecnologia, mesmo assim, apesar de todos avanços possíveis, a minha palavra vale mais do que decretos e normas legais: ela é única e infalível “, teorizou Carlos Fábio para concluir:

“Eu não acredito, nem ninguém mais, em quem não honra com compromissos e vive o tempo inteiro encobrindo gravidades para se perpetuar no Poder”, declarou.

“O PODER NÃO É TUDO” – Para Carlos Fábio, o atual presidente é um oportunista travestido de “aparente condição de personagem a preservar valores, mas em nome do Poder encobre e pensa que a Classe ignora os graves fatos em torno dele protegendo diretor acusado de assédio moral inaceitável na Ordem”.

Segundo ele, “o Poder não é tudo nem mesmo quando se age para acertos conjunturais que levam a Ordem ao concreto caso de agressão ética encoberta pelo atual presidente. Ele precisa dizer à categoria porque esconde o assédio moral de seu mentor”.

SEU PROJETO – Carlos Fábio afirmou que é candidato não por interesse pessoal, que até existe, mas é infinitamente menor do que “o interesse coletivo dos advogados enxergando em nossa atuação na Caixa de assistência um modelo real de competência para saber gerir a ordem”.

Ele concluiu que está disposto “ao debate cara a cara com o atual presidente, se possível ao lado de seu mentor, para provarmos a farsa ética e de competência de gestão, onde a OAB/PB precisou recorrer ao Nacional para sobreviver, e assim todos saibam a verdade do falso líder”.