Acusada de planejar assassinato do irmão na Paraíba confessa crime em júri popular - WSCOM

menu

Policial

12/10/2018


Acusada de planejar assassinato do irmão na Paraíba confessa crime em júri popular

Foto: autor desconhecido.

Maria Celeste de Medeiros Nascimento confessou ter planejado a morte do irmão, em depoimento ao júri popular, realizado nesta quinta-feira (11), no 2º Tribunal do Júri do Fórum Criminal de João Pessoa. Ela afirmou que a motivação para o crime foi uma discussão relacionada à venda de uma casa.

Maria Celeste foi condenada há 29 anos de prisão, o taxista, Jairo César Pereira condenado há 17 anos, Werlinda Rainara também há 17 anos e Walber do Nascimento Castro foi absorvido.

O caso aconteceu em junho 2016, quando, segundo as denúncias, ela teria planejado a morte do irmão e a simulação de um assalto a uma padaria que pertencia à família. Conforme apuração da Polícia Civil à época, a acusada contratou pessoas para matar o irmão após ele descobrir que ela estava roubando o patrimônio da família, fruto de herança.

Em depoimento, a mãe da acusada e da vítima, declarou que perdoou a filha, mas que espera que a justiça seja feita. “Ela está perdoada, em nome de Jesus, mas eu quero que ela pague pelo crime que ela cometeu”, pontuou.

Eles foram denunciados à Justiça pelo Ministério Público da Paraíba, com outras quatro pessoas: Severino Fernandes Ferreira, Nielson da Silva, Ricardo de Souza Ferreira e Robson de Lima Ramos, que ainda aguardam julgamento.

Relembre o caso
No dia 4 de junho de 2016, por volta das 10h15, na Padaria Luna, situada no Bairro do Jardim Luna, em João Pessoa, os denunciados simularam um assalto com o objetivo de assassinar Marcos Antônio, sendo os acusados de serem os executores Nielson da Silva e Ricardo de Souza Ferreira, coordenados pelo coautor Severino Fernandes Ferreira.

Os dois homens armados entraram na padaria, renderam os funcionários e clientes, roubaram o dinheiro do caixa e a motocicleta da vítima que foi baleada e fugiram. Marcos Antônio chegou a ser atendido e levado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Maria Celeste foi apontada como mandante do crime, que procurou o seu sobrinho e também acusado Walber do Nascimento Castro, para organizar a morte do irmão. Walber teria intermediado o contato da tia com Robson de Lima Ramos, que forneceu o contato de Severino Fernandes Ferreira.

A outra denunciada é Werlinda Raynara da Silva, que de acordo com o TJPB mantinha um relacionamento amoroso com Maria Celeste, e que, segundo o Ministério Público, sabia do intento homicida da companheira e estava disposta a produzir um retrato falado falso para a Polícia. Com informações do G1.

Notícias relacionadas