Blog de WS explica com detalhes causas e efeitos da crise na eleição da API - WSCOM

menu

Paraíba

20/07/2018


Blog de WS explica com detalhes causas e efeitos da crise na eleição da API

Foto: autor desconhecido.

O Blog de Walter Santos traz uma análise detalhada sobre o processo eleitoral na API – Associação Paraibana de Imprensa explicando com detalhes porque terminou na Justiça.

O Blog dá a posição do presidente João Pinto e da candidata Sandra Moura.

 

A crise na eleição da API: o que falta à normalidade?

O processo eleitoral na Associação Paraibana de Imprensa apresentou às vésperas das eleições, antes previstas para esta sexta-feira e sábado, a decisão da 7ª Vara Cível de João Pessoa, Ivanoska Maria Esperia da Silva, mandando suspender sua realização por 30 dias ainda exigindo providências por parte da atual presidência. A petição teve a assinatura do Escritório Vita – Advogados & Consultores.

Aliás, o presidente João Pinto soltou Nota dizendo inexistir problemas e já constituiu advogado para buscar revogar a medida.

Da parte da candidata Sandra Moura, ela se diz a postos e aguardando a eleição mas argumenta que é preciso paridade e processo limpo, sem manipulação no colégio eleitoral.

A POSIÇÃO JUDICIAL

A decisão da magistrada de deveu à juntada de documentos e dados, segundo os autos, pontuando que ao longo dos 3 anos da atual gestão os processos de novas filiações na entidade se deram desrespeitando os estatutos.

Conforme os autos, durante esse tempo inexistiram procedimentos obrigatórios pelos Estatutos de constituição de Comissão de Sindicância para avaliar os processos de filiação. Dizem ainda os Autos, que não houve uma única reunião do Conselho Deliberativo para tratar desta questão ou de qualquer outro assunto.

O ARGUMENTO DA DIRETORIA

O presidente João Pinto soltou Nota se posicionando contestando a existência de irregularidades anunciando ainda recurso para derrubar a decisão da douta juíza.

Ele argumenta na Nota que houve Assembleia Geral para definir as regras e todos os assuntos ligados ao pleito e que a candidata Sandra Moura e aliados se ausentaram da assembléia.

Argumenta ao final que está recorrendo e lamenta a judicialização.

ALÉM DE SANDRA

Em que pese a palavra do presidente João Pinto, o processo eleitoral precisa efetivamente respeitar os Estatutos e gerar equidade aos candidatos. Por isso, o dirigente não precisa de muita coisa, senão confirmar em juizo que:

1) Todas as filiações em 3 anos tiveram aval da Comissão de Sindicância;

2)Que dispoe das Atas provando a realização de reuniões específicas para exame das novas filiações;

3)Documentos provando que o Conselho Deliberativo se reuniu várias vezes para tratar deste assunto e também neste caso apresentando as atas;

4) Editais provando que antes do processo eleitoral realizou assembléias para avaliar e aprovar os novos sócios

Como o presidente diz que estar tudo em ordem, então ele certamente vai apresentar os documentos em juizo. Do contrário, não seguiu as determinações estatutárias e aí tudo se complica.

É simples, mas precisa atender e respeitar os Estatutos.

A API Não pode dar mau exemplo?

Notícias relacionadas