Telemar conclui 80% da meta de instalação de telefones em localidades com menos - WSCOM

menu

Economia & Negócios

24/10/2005


Telemar conclui 80% da meta

A Operadora de telefonia Telemar já concluiu 80% da meta da Anatel de instalação de telefonia residencial e pública (orelhão) em localidades com menos de 600 habitantes, prevista para janeiro de 2006. No total, serão beneficiadas 4.800 localidades e investidos cerca de R$ 300 milhões.

A Telemar está antecipando o cumprimento do novo Plano Geral de Metas de Universalização (PGMU) de telefonia, estabelecido pela Anatel, em 80% das localidades identificadas para serem beneficiadas. Com isso, 3.800 localidades já receberam, até a segunda quinzena de outubro, telefonia residencial ou pública, sendo que, deste total, 3 mil eram mudas. A previsão, até janeiro de 2006, é que 4.800 localidades recebam o serviço, finalizando o cumprimento do PGMU.

Ao final do Plano, cerca de 1.400 localidades que anteriormente só eram atendidas com telefonia coletiva passarão a receber também telefonia residencial. Com as novas instalações, a Telemar passará a atender mais de 20 mil localidades, atingindo uma enorme capilaridade nos 16 estados de sua área de atuação (Norte, Nordeste e Sudeste, exceto São Paulo).

Os estados da Bahia, Maranhão, Minas Gerais e Ceará terão a maior quantidade de novas localidades beneficiadas. Até o momento, são 602, 360, 364 e 266 novas localidades, respectivamente. Na Paraíba, até a segunda quinzena de outubro, foram instalados serviços de telefonia em 159 localidades, sendo 154 com atendimento público e 5 com atendimento individual.

O novo PGMU prevê que, a partir de janeiro de 2006, localidades – de acordo com os parâmetros definidos pela Anatel – com população igual ou superior a 100 habitantes e inferior a 300 habitantes terão acesso coletivo; e que áreas com 300 habitantes terão também acesso individual. Para o cumprimento das novas metas, a Telemar destinou cerca de R$ 300 milhões em toda a sua área de atuação (Norte, Nordeste e Sudeste, exceto São Paulo), de um total de R$ 2,5 bilhões previstos para o Grupo Telemar em 2005.

A avaliação das novas localidades a serem atendidas pela Telemar foi realizada entre 2003 e 2005. Técnicos da operadora visitaram mais de 20 mil povoados, onde foram registrados por meio de fotos e mapas digitalizados todos os dados necessários para a definição da instalação de serviços de telefonia no local, como quantidade de residências próximas e dispersas, continuidade urbana, população, postos de saúde, escolas, entre outros, seguindo a definição do conceito de localidade da agência reguladora.

Tecnologia

Para implantar esta nova etapa do PGMU, a Telemar firmou contrato com a Siemens para a integração de vários serviços de tecnologia. Estão sendo instalados equipamentos de tecnologias de acesso e satélite, utilizando a infra-estrutura de satélite da Hispamar. Isto permitirá aos habitantes das regiões mais remotas do país utilizar serviços de voz em rede fixa (voz sobre IP) no primeiro estágio. Em uma expansão futura, serviços adicionais também devem ser oferecidos sobre essa base, como serviços de dados de banda larga.

Além destas, foram utilizadas as seguintes tecnologias para o cumprimento do PGMU: Wireless Local Loop (WLL), solução de acesso sem fio semelhante à do celular; VSAT, pequenas estações satélite, com um metro de diâmetro, instaladas nas localidades com solução de satélite; Monocanal, um equipamento de rádio com apenas um circuito de voz; Linha Física, que é o prolongamento de cabo de rede a partir de uma localidade atendida; e a URA, unidade remota de assinante, que é interligada a uma central de comutação.

Notícias relacionadas