Técnico Pekerman deixa o cargo após eliminação argentina - WSCOM

menu

Internacional

30/06/2006


Técnico Pekerman deixa o cargo

Em coletiva concedida após a derrota da Argentina para a Alemanha nas quartas-de-final da Copa nesta sexta-feira, o técnico da Argentina José Pekerman anunciou que deixa o comando da seleção.

“Ah, a mesma velha pergunta”, brincou Pekerman. “O ciclo terminou”, afirmou, confirmando sua saída da equipe.

O técnico agradeceu a todos os argentinos que acompanharam e torceram pela seleção durante a sua trajetória na Alemanha. “Quero agradecer a cada um que esteve conosco, que assistiu às partidas. Eu lamento muito por não conseguirmos seguir adiante”, desculpou-se o técnico.

“Nós não contávamos com tantos inconvenientes”, lamentou Pekerman, que viu seu goleiro titular, Roberto Abbondanzieri, ser substituído aos 25 minutos do segundo tempo pelo goleiro reserva, Léo Franco.

“A Argentina foi mais forte e teve a chance de vencer a partida. Erramos porque não conseguimos aproveitar esse momento”, reconheceu Pekerman.

O técnico assegurou que está tranqüilo com a eliminação, porque a equipe fez o possível para cumprir sempre o seu objetivo. “Eu acreditei muito nessa equipe e sei que os jogadores se esforçaram ao máximo”, afirmou Pekerman.

“A impressão que fica é que a Argentina estava melhor em campo, mais inteira. Mas erramos e é comum errar como fizemos em um campeonato desse nível”, continuou.

Sobre a rival anfitriã, o técnico foi categórico. “Perdemos para uma seleção que vive agora o seu melhor momento no futebol”.

Questionado sobre a briga que ocorreu após o fim da cobrança dos pênaltis, o técnico minimizou o ocorrido, que chamou de “coisa de um momento em que as emoções falam mais alto e nada mais”.

O técnico se negou a comentar sobre um polêmico lance de ataque de sua seleção, em que o capitão alemão Ballack tocou com a mão na bola, o que foi ignorado pelo árbitro.

“Não quero falar disso”, cortou Pekerman. “O importante é que a Argentina fez de tudo para chegar até aqui, mas perdemos, e isso é realmente uma pena.”

Notícias relacionadas