Suspeito de ataques em Bali 'escapa' da polícia - WSCOM

menu

Internacional

07/10/2005


Suspeito de ataques em Bali

O malaio Noordin Mohamed Top, suspeito de ter planejado os ataques do fim de semana em Bali, na Indonésia, escapou por pouco da polícia nesta sexta-feira na ilha de Java.

Agentes realizaram uma incursão na casa em que Top estava vivendo, mas ele havia deixado o local algumas horas antes, segundo o chefe da polícia local.

O militante malaio é apontado como um dos responsáveis por vários atentados, incluindo os do fim de semana em Bali, no qual morreram 19 pessoas e os três militantes suicidas que explodiram as bombas.

A polícia ainda não divulgou os nomes dos três militantes, apesar de ter espalhado fotos de suas cabeças, que foram separadas dos corpos pelas explosões, a fim de obter informações.

Além deles, a polícia está investigando um homem da cidade de Solo, chamado Gareng, que poderia ser um dos autores dos ataques, segundo o chefe da polícia local, Abdul Madjid.

‘Nova geração’

O chefe da polícia de Bali, Made Mangku Pastika, disse que os três homens-bomba fazem parte de uma “nova geração” de militantes violentos na Indonésia.

Ele não acredita que eles estejam ligados à rede que teria realizado um ataque anterior, que matou mais de 200 pessoas em 2002.

“Até agora, eles não foram reconhecidos por grupos antigos. Isso significa que são pessoas novas”, disse Pastika.

A polícia indonésia admitiu na sexta-feira que fez poucos progressos nas investigações sobre o atentado.

Recompensa

Os Estados Unidos estão oferecendo uma recompensa de US$ 10 milhões (R$ 23 milhões) por informações que ajudem na captura de um suspeito de ter participado do ataque de 2002 em Bali.

O suspeito é um indonésio chamado Dulmatin. Acredita-se que ele seja um especialista em eletrônica e um dos líderes do Jemah Islamiah, um grupo militante islâmico acusado de ser responsável por uma série de ataques no sudeste da Ásia.

A recompensa é a segunda maior já oferecida pelo governo americano. Apenas as capturas do líder da al-Qaeda, Osama Bin Laden, e um dos líderes dos insurgentes iraquianos, Abu Musab al-Zarqawi, valem mais dinheiro – US$ 25 milhões (R$ 57,4 milhões) cada um.

Os americanos estão oferecendo um prêmio de US$ 1 milhão (R$ 2,3 milhões) por Umar Patek, que seria um aliado próximo de Dulmatin e também teria participado das explosões de 2002 em Bali.

Notícias relacionadas