Supremo abre inquérito contra Paulinho da Força - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

30/05/2008


Supremo abre inquérito contra Paulinho

O Supremo Tribunal Federal instaurou inquérito contra o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP), para investigar o suposto envolvimento do parlamentar em esquema de desvio de verbas no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), descoberto pela Polícia Federal na Operação Santa Tereza.

O inquérito 2725, de acordo com a assessoria de imprensa do STF, foi aberto na quarta-feira (28) a pedido do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza.

A investigação, no entanto, ainda não começou porque ainda não foi designado relator para o caso. O processo foi distribuído para a ministra Ellen Gracie sob a alegação de que ela já teria relatado ações sobre o assunto. A ministra informou, porém, que o caso envolvendo o BNDES era diferente do que ela havia cuidado e devolveu o processo para o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, designar novo relator.

A decisão do procurador de remeter inquérito para o Supremo se deu após análise de um CD com quase duas mil páginas da investigação feita pela vara judicial de São Paulo especializada em lavagem de dinheiro.

Grampos – Escutas telefônicas com autorização da Justiça revelam que um dos principais implicados num suposto esquema de desvio de dinheiro do BNDES alertou o deputado Paulinho da Força sobre a Operação Santa Tereza.

O advogado de Paulo Pereira da Silva, contudo, disse que a ligação de Consani foi para avisar sobre uma ação de adversários políticos e não sobre a operação da PF. A defesa reafirmou também que o deputado nunca recebeu dinheiro desviado do BNDES.

Conselho de Ética – Um processo por quebra de decoro parlamentar foi protocolado contra o deputado no Conselho de Ética da Câmara. Ainda não foi designado relator para o caso.

Em nota divulgada na terça (27), Paulinho diz estar sofrendo “implacável perseguição política” e pediu que o Conselho de Ética abrisse um processo para que ele pudesse se defender.

Notícias relacionadas