Suposta ação do tráfico deixa 4 mortos no Rio - WSCOM

menu

Policial

15/10/2005


Suposta ação do tráfico deixa

Quatro pessoas suspeitas de pertencerem ao tráfico de drogas foram mortas na madrugada da última terça-feira, na favela do Muquiço, em Deodoro (zona norte do Rio). A matança vinha sendo mantida em sigilo porque havia a possibilidade de vingança.

A ação, segundo a Polícia Civil, foi comandada pelo traficante Bruno da Silva Ribeiro, 22, o Coronel, uma das lideranças do tráfico na favela e que havia sido expulso da comunidade.

De acordo com informações da 30ª DP (Marechal Hermes, zona norte da cidade), Coronel havia desagradado o comandante do tráfico no local, Edmílson Ferreira dos Santos, o Sassá, por ter matado um de seus subordinados, identificado como Silvinho.

Sassá, então, decidiu expulsá-lo. Desde então, Coronel se aliou a traficantes da favela de Acari, vinculados à facção criminosa TCP (Terceiro Comando Puro), inimiga da ADA (Amigo dos Amigos), que domina o Muquiço.

Na madrugada da última terça-feira, Coronel e aliados da região de Acari invadiram o Muquiço na tentativa de aplicar um “golpe de estado” e tomar os postos do tráfico. Quatro homens acabaram mortos. Coronel teria fugido e não ficou na favela.

Uma das vítimas ainda chegou a ser levada para o hospital Getúlio Vargas, na Penha (zona norte), onde morreu. Outros três morreram no interior da comunidade e os corpos foram levados para a 30ª DP. Nenhum deles havia sido identificado até o fechamento desta edição.

Mais mortes

Moradores chegaram a afirmar que o número de mortos teria sido oito, mas a polícia descarta a hipótese. Nas ruas da favela, é proibido falar sobre o assunto.

A polícia afirmou que, depois de ter sido expulso, tem sido constantes os ataques de Coronel à favela do Muquiço.

Além de matar inimigos, ele também roubaria armas e drogas da quadrilha.

Notícias relacionadas