Suicídio em Quantánamo é 'ato de guerra', dizem EUA - WSCOM

menu

Internacional

11/06/2006


Suicídio em Quantánamo é 'ato

Três prisioneiros na base militar americana na Baía de Guantánamo, em Cuba, morreram no que aparenta ter sido um pacto suicida, de acordo com as Forças Armadas dos Estados Unidos.

Os detentos foram encontrados mortos em suas celas na primeira hora deste domingo. Segundo os guardas da prisão, eles tentaram ressuscitar os presos, mas não conseguiram.

O comandante do campo, almirante Harry Harris, disse que as mortes são um “ato de guerra assimétrica”, mas grupos de direitos humanos afirmam que esta foi uma medida de desespero dos detentos.

Os Estados Unidos mantêm cerca de 460 prisioneiros em Guantánamo, suspeitos de ligações com a rede extremista Al-Qaeda e o Talebã.

Leia mais no site da BBC Brasil

Notícias relacionadas