Suíça vence Togo e assume liderança ao lado da Coréia - WSCOM

menu

Internacional

19/06/2006


Suíça vence Togo e assume

Helvéticos vencem africanos por 2 x 0, igualam número de pontos dos sul-coreanos, mas superam asiáticos no saldo de gols.

Suíça e Coréia do Sul decidem o primeiro lugar do grupo G da Copa do Mundo, na próxima sexta-feira. As duas seleções somam 4 pontos e quem vencer enfrentará o segundo colocado da chave H. Os helvéticos igualaram o número de pontos dos sul-coreanos nesta segunda-feira, quando venceram Togo por 2 x 0, em Dortmund.

O resultado suíço, além de praticamente ter reduzido a quase zero as chances de classificação da conturbada seleção africana, também complicou a vida dos cabeças-de-chave do grupo: os franceses. Agora, a França, que desde 1998 não vence em Copas do Mundo, se vê obrigada a ganhar de Togo para ter alguma possibilidade de avançar às oitavas-de-final. Caso contrário, repetirá o fiasco de 2002, quando foi desqualificada na primeira fase.

No primeiro tempo, Togo se mostrou impetuoso. A equipe africana partiu para cima dos suíços, que passaram a utilizar a velha tática de atuar nos contragolpes e nos erros dos togoleses. Outro plano do time europeu foi explorar a ingenuidade dos africanos, que ficou evidenciada no gol suíço. Aos 16min, a zaga de Togo ficou assistindo um cruzamento da direita, o meio-campista Barnetta ajeitou e Frei finalizou para fazer 1 x 0 para a Suíça.

A desvantagem no placar não abalou Togo, que seguiu partindo para o ataque com voluntariedade. O time cresceu, apesar da desvantagem, e passou a merecer o gol de empate, que poderia ter vindo aos 34min. Emmanuel Adebayor entrou em diagonal pela grande área e foi calçado. O que seria um pênalti indiscutível foi ignorado pelo árbitro paraguaio Carlos Amarilla.

No segundo tempo, crente de que Togo seguiria em seu plano de se mandar para o ataque, dando cada vez mais espaço para os contra-ataques, o técnico suíço Koebi Kuhn decidiu apostar na velocidade de Hakan Yakin. O jogador, com suas estocadas fulminantes, acabou transformando o goleiro togolês Kossi Agassa na grande figura da etapa final, com pelo menos quatro importantes intervenções.

Passados os 25min, porém, o calor em Dortmund se tornou grande inimigo dos suíços, que passaram a correr menos e a dar espaço para que os togoleses voltassem novamente a exercer forte pressão em busca do gol de empate. Neste instante, porém, prevaleceu a experiência suíça, que voltou a só atacar na boa. E aos 43min, num contragolpe fulminante, os helvéticos sacramentaram o placar: Lustrinelli cruzou e Bernetta pegou de primeira, da entrada da grande área, para fazer 2 x 0 e consolidar a liderança da chave no saldo de gols.

TOGO 0 x 2 SUÍÇA

Data: 19/6/2006 (segunda-feira)

Horário: 10h (horário de Brasília)

Local: Westfalenstadion, em Dortmund (ALE)

Árbitro: Carlos Amarilla (Paraguai)

Assistentes: Amelio Andino (Paraguai) e Manuel Bernal (Paraguai)

Cartões amarelos: Moustapha Salifou (TOG), Emmanuel Adebayor (TOG), Alaixys Romão (TOG) e Johann Vogel (SUI)

Gols: Alex Frei, 16min do 1.°; Tranquillo Barnetta, 43min do 2.°

Togo: Kossi Agassa; Dare Nibombe, Assimiou Toure,Massamasso Tchanga e Kuami Agboh (Moustapha Salifou); Thomas Dossevi (Yao Senaya Junior), Cherif Toure-Maman (Robert Malm), Alaixys Romao e Mohamed Kader Coubadja; Richmond Forson, Emmanuel Adebayor. Técnico: Otto Pfister

Suíça: Pascal Zuberbuehler; Ludovic Magnin, Philippe Senderos, Patrick Mueller e Philipp Degen; Raphael Wicky, Johann Vogel, Ricardo Cabanas (Marco Streller) e Tranquillo Barnetta; Alex Frei (Mauro Lustrinelli) e Daniel Gigax (Hakan Yakin). Técnico: Koebi Kuhn.

Notícias relacionadas