Stedile classifica ação do MLST como 'equívoco' - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

09/06/2006


Stedile classifica ação do MLST

O líder do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) João Pedro Stedile criticou ontem, em Cascavel (oeste do PR), a invasão da Câmara Federal pelo MLST (Movimento de Libertação dos Sem Terra). Stedile classificou a ação como “equívoco”.

O líder do MST comentou a invasão depois de palestra na 5ª Jornada de Agroecologia, que acontece até o próximo sábado no Centro de Convenções de Cascavel. Stedile foi a Cascavel para falar sobre o “projeto das transnacionais para dominar a agricultura no mundo”.

Segundo ele, a ação do MLST foi um equívoco. “Nossos inimigos são o latifúndio, as empresas transnacionais e os bancos. A Câmara e os deputados precisam ser nossos aliados, não atacados”, afirmou.

As lideranças do MST tem optado por não comentar a ação do MLST, um movimento dissidente do próprio MST, e Stedile procurou ser breve ao comentar a invasão, ocorrida na última terça-feira.

A principal divergência entre o MLST e o MST é a forma de luta pela reforma agrária. Enquanto o MST defende a necessidade de um amplo movimento de massa, com apoio da sociedade urbana, o MLST entende a luta pela terra como uma etapa para uma revolução socialista. O grupo liderado por Bruno Maranhão segue a doutrina maoísta (do líder comunista chinês Mao Tse-tung).

Notícias relacionadas