Sheyner Asfóra ressalta que a atual gestão da OAB-PB não cumpriu ações que foram prometidas - WSCOM

menu

Paraíba

27/11/2018


Sheyner Asfóra ressalta que a atual gestão da OAB-PB não cumpriu ações que foram prometidas

Declarações foram dadas durante debate realizado na TV Master, na noite desta segunda-feira (27)

Imagem: Candidato a presidência da OAB Sheyner Asfóra

A falta de transparência com os gastos da OAB-PB tem chamado a atenção da categoria, que não tem conhecimento de como o dinheiro das anuidades é investido.

 

Durante debate realizado na TV Master, na noite desta segunda-feira (27), o atual dirigente da Ordem, Paulo Maia acusou o candidato Sheyner Asfóra de divulgar Fake News sobre a sua gestão. Sheyner Asfóra ressaltou que todas as informações que foram divulgadas podem ser conferidas no site da própria OAB. 

 

“Minha gestão será pautada na transparência. Tudo o que falei pode ser constatados. Nenhuma informação foi baseada em Fake News. A Chapa 2 Nova OAB quer abrir a “Caixa Preta” e mostrar que a realidade é bem diferente do discurso de transparência tão defendido pela atual gestão. Para se ter uma ideia, a OAB-PB arrecadou nos últimos 3 anos mais de 21 milhões de reais e ninguém sabe ao certo onde foi empregado. O que realmente vemos de fake são palavras do atual dirigente. Uma vez que o gestor não cumpriu 78% das promessas que foram feitas, como, por exemplo, criação de centros de estudos, de bibliotecas, além de instituir uma ouvidoria de honorários e para as advogadas, realização de concurso públicos, entre outras. Se caso for eleito, vou honrar todos os compromissos, ter uma gestão clara e sem privilégios ”, destacou Sheyner. 

 

Além da transparência, Sheyner Asfóra também comentou que a Ordem vem perdendo seu protagonismo histórico e sua representatividade.
“Nos últimos anos, a OAB-PB teve uma gestão apática e que em nada trouxe de benefício para os advogados. Faltou apoio institucional para categoria. Queremos uma gestão ativa e participativa com a categoria. Muitas coisas têm que ser discutidas, como a questão das custas judiciais, o piso salarial. Por essa falta de protagonismo, a Ordem perdeu a credibilidade diante das intuições e da própria categoria. Só este ano, 1600 advogados deram baixa na carteira. Queremos trazê-los de novo para a Ordem e oferecer diversos benefícios”, finalizou o candidato.

Por Redação com informações Assessoria Chapa 2/Portal WSCOM