Sheik sentiu tontura após gol e pediu para sair: 'Achei que ia morrer' - WSCOM

menu

Futebol

15/03/2018


Sheik sentiu tontura após gol e pediu para sair: ‘Achei que ia morrer’

Atacante relata momento de tensão após abrir o caminho da vitória do Corinthians por 2 a 0 sobre o Deportivo Lara (VEN) na noite desta quarta-feira na Arena Corinthians

Foto: autor desconhecido.

Emerson Sheik saiu de campo ovacionado após marcar o gol que abriu caminho para a vitória do Corinthians sobre o Deportivo Lara (VEN) na noite desta quarta-feira na Arena, mas viveu um momento de tensão antes. Após a partida, ele contou que pediu para ser substituído porque sentiu forte tontura no lance do gol, em que se chocou com o defensor antes de marcar de cabeça.

– No momento da cabeçada, fiquei tonto, e nem vi o gol. Logo na sequência, dei um carrinho, segui tonto, e fiquei muito assustado. Fiquei com muito medo, medo de morrer (risos). Aí pedi para alguém entrar mais descansado. Acho que foi pela cabeçada – afirmou Sheik, que logo depois foi substituído por Júnior Dutra.

É o segundo jogo que Sheik tem participação decisiva em uma semana. Na quarta-feira da semana passada, ele fez o gol da vitória sobre o Mirassol por 1 a 0 também na Arena. O atacante falou de seu bom momento e comentou sobre as mudanças de hábitos desde que acertou seu retorno ao Corinthians este ano, com contrato de três meses.

– Quando teve o namoro com aprovação do Fábio (Carille), eu tive uma conversa com Duílio (Monteiro, diretor de futebol). E ele me disse que teria a chance de eu voltar, mas que eu precisava mudar alguns hábitos. Algo que não se encaixa no Corinthians. As diversões de 2011, de 2012. Eu tenho um cuidado, sim. Estou com a Cris (nutricionista), com o Walmir (Cruz, preparador físico), com o Fábio. Importante recuperar bem, dormir bem. A parte de fisiologia do clube, comigo, com Danilo. Tem tudo para eu corresponder – afirmou Sheik.

Confira outros trechos da entrevista do atacante:

Lembranças do torcedor
As lembranças de 2012, que não saem da cabeça dos torcedores, eu entendo perfeitamente. Temos que entender que são dois cenários completamente diferentes. O elenco todo mudou. Primeiro me sinto privilegiado por saber que consigo transmitir isso pro torcedor, e ao mesmo tempo é sinal de motivação. Contribuir da maneira que for para evoluir.

Como analisa a partida e esse momento?
Muito feliz de estar na terceira passagem, sinal de que fiz amigos e pude dar minha parcela. Nessa ouvi muita coisa, mas tinha aprovação do Fábio, dos atletas. O que faltava mesmo era os treinamentos, porque fiquei três meses sem jogar. Estou muito feliz porque tenho treinado pra caramba. Mas tenho noção da minha qualidade, do grupo, todo mundo quer jogar. Fico feliz em dar minha parcela, o gol. Mas vale lembrar que ainda tem mais 20, 30, que podem entrar e colaborar.

Acredita em jogador predestinado?
Não acredito mais em jogar predestinado, um dia já acreditei, hoje não acredito nisso em sorte. Acredito que tem de trabalhar, se cuidar, predestinado talvez, mas hoje acho isso, que você consegue resultados bons.

Lance