Severino Cavalcante diz estar pronto para assumir a Presidência - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

15/08/2005


Severino Cavalcante diz estar pronto

O presidente da Câmara, Severino Cavalcante (PP-PE), afirmou hoje que se considera pronto para assumir a Presidência da República caso se torne necessário.

“Estou preparado para tudo. Quando assumi a presidência da Câmara, a imprensa não acreditava em mim e mostrei que estou desempenhando bem a minha função”, afirmou em entrevista na Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro).

Ele reiterou essa disponibilidade para assumir a Presidência em entrevista após almoço na Câmara de Comércio França-Brasil. “Se houver necessidade tem que cumprir o regimento da Casa, cumprir a Constituição e assumir”, afirmou.

Severino afirmou acreditar na inocência de Lula, mas disse também ser favorável ao impeachment caso fiquem provadas irregularidades. “Se ele participou, temos que puni-lo também”, disse. Questionado sobre qual a punição aplicável, replicou: “Com impeachment.”

“Tem denúncias que são infundadas e tem outras que procedem. Então as que procedem nós temos que analisar e fazer a punição daqueles que não cumpriram com seu dever para com a sociedade.”

O presidente da Câmara elogiou a atitude do presidente em falar à nação, mas classificou o discurso como insuficiente. “Pelo menos ele mostrou humildade quando pediu desculpa à sociedade, quando se mostrou compungido, é uma prova evidente que ele foi traído. Se ele foi traído, nós temos que dar uma oportunidade”, disse.

Ele se comprometeu a lutar pela estabilidade do país. “O Brasil pode ficar tranqüilo que o presidente da Câmara não vai antecipar ou lutar pelo impeachment de Lula.”

José Dirceu

Apesar do tom de apoio ao presidente Lula, Cavalcante afirmou que existem evidências de que o deputado José Dirceu (PT-SP) tem “alguma culpa” e na avaliação do presidente da Câmara, deveria ser punido.

“Diante das denúncias e da maneira como os fatos estão sendo encaminhados, a evidência é que ele tem alguma culpa e se tem alguma culpa, tem que pagar. É uma das punições [ser cassado]”, disse.

Cavalcante afirmou que ainda é difícil prever se o deputado será ou não cassado. “Isso vai depender do plenário. (…) A sociedade está exigindo punição, alguém tem que pagar: que houve desmando, houve, que houve falta de desvios éticos, houve, o que não se pode deixar é a impunidade”, disse.

Economia

Em discurso para representantes da Câmara de Comércio França Brasil, Cavalcante fez um apelo para os empresários para que não reduzam os investimentos no Brasil. Ele aproveitou o momento para pedir que os representantes da Câmara, que reúne mais de 800 associados, não deixem de fazer investimentos no Nordeste.

Durante a manhã, Cavalcante recebeu o pedido de empresários fluminenses para que convoque uma assembléia constituinte a fim de debater as reformas consideradas essenciais para o país, principalmente a reforma política.

Cavalcante convocou para amanhã uma reunião com os líderes do Congresso para discutir o destrancamento da pauta. Segundo ele, o Congresso deverá voltar a normalidade dentro de oito a dez dias.

Sobre a aprovação no Senado do salário mínimo de R$ 384, Cavalcante afirmou que foi uma atitude impensada do Senado. “Tem que ser o que foi na Câmara e não na orgia do Senado”, disse.

Notícias relacionadas