Schumacher "atrapalhou" Barrichello, diz dirigente - WSCOM

menu

Mais Esporte

19/08/2005


Schumacher "atrapalhou" Barrichello, diz

O diretor-técnico da Ferrari, Ross Brawn, afirmou nesta sexta-feira que Rubens Barrichello poderia ter sido bicampeão mundial com a equipe se Michael Schumacher não fosse seu companheiro.

O cartola também não escondeu sua frustração com a partida do brasileiro para a rival BAR ao final desta temporada.

“Estamos muito decepcionados porque vivemos um ótimo período com Rubens. Disse várias vezes que ele tinha o emprego mais difícil da Fórmula 1”, disse Brawn antes do Grande Prêmio da Turquia deste final de semana.

“Ele tenta superar Michael Schumacher com o mesmo equipamento e ninguém nunca conseguiu isso. É uma experiência muito frustrante e ele sempre deu duro e fez um excelente trabalho. Fiquei chateado com o que aconteceu, mas compreendo.”

Barrichello chegou à Ferrari em 2000 e foi vice-campeão mundial em 2002 e 2004. O alemão, heptacampeão, foi campeão em todos os anos desde a chegada do brasileiro.

Barrichello afirmou que um dos melhores momentos na Ferrari foi estranhamente o Grande Prêmio da Áustria de 2002, quando recebeu ordem para deixar Schumacher ultrapassá-lo na última curva, depois de estar liderando desde o início.

O jogo de equipe repercutiu negativamente em todo o mundo e forçou a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) a proibir esse tipo de “ordem de equipe”.

“Acho que esse foi o melhor momento, porque eles (Ferrari) souberam que eu poderia vencer corridas sem a ajuda de ninguém, então acho que foi o ponto de mudança da minha carreira”, disse Barrichello.

Brawn discordou do piloto. “Rubens compreendia a equipe. Não vejo dessa forma, pois sempre o considerei um piloto sério, então não houve mudança.”

“Ele teria sido campeão mundial, se Michael Schumacher não estivesse lá. Uma vez, talvez duas. Para mim, esse é o nível de Rubens. Ele fez um grande trabalho e melhora a cada ano”, acrescentou Brawn.

Notícias relacionadas