São Paulo x Santos: clássico sem brilho - WSCOM

menu

Mais Esporte

22/10/2005


São Paulo x Santos: clássico

São Paulo e Santos protagonizaram alguns dos melhores clássicos do país nos últimos anos, mas neste sábado, às 20h30, se enfrentam no Morumbi envolvidos em momentos turbulentos e sem o glamour que os envolveu há tão pouco tempo.

Em 2002, os rivais estaduais encantaram os seus torcedores ao disputarem a fase decisiva do Campeonato Brasileiro. As equipes contavam em seus elencos com jogadores do porte de Kaká, Júlio Baptista, Diego e Robinho.

No ano seguinte também estiveram em disputa acirrada, desta vez pelo Campeonato Paulista. O clube da capital eliminou o do litoral ao vencer por 2 x 1 dentro da Vila Belmiro.

E, em 2004, Ricardinho, que já vestiu a camisa tricolor, marcou nos minutos finais um gol que garantiu uma vitória alvinegra sobre o adversário, acirrando uma rivalidade que sempre esteve presente entre os clubes.

As coisas serão diferentes, porém, a partir deste final de semana, quando São Paulo e Santos medem força pela 33ª rodada do Nacional.

De um lado está a preparação para o duelo com o Corinthians e a manutenção de um trabalho que visa o Mundial Interclubes, ainda distante. Do outro, nada mais do que a esperança de garantir uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores da América.

Além disso, o brilho que iluminou o clássico “Sansão” nos últimos anos foi ofuscado pela decisão do STJD de anular 11 partidas apitadas pelo ex-árbitro Edílson Pereira de Carvalho. Os dois clubes sentiram-se prejudicados e admitiram desânimo.

“O jogo contra o Santos poderia ter muito mais brilho se não fossem essas 11 partidas anuladas pelo STJD, mas é sempre um clássico. O jogador não pode entrar em campo desmotivado em um clássico como este. Esta partida é tão importante quanto a do Corinthians”. disfarçou Rogério Ceni.

“O momento poderia ser outro, é uma pena. Agora, infelizmente, lutamos apenas pela Libertadores, pois o título ficou muito longe. Mas devemos fazer de tudo para jogar bem e voltar a somar pontos”, retrucou Ricardinho.

O Tricolor, garantido no torneio sul-americano da próxima temporada, é o 11° colocado no Brasileiro com 44 pontos. O Peixe é o sétimo, com 49, está a cinco da zona dos que estarão na Libertadores em 2006.

Por isso, na Vila o importante é seguir um planejamento que exige a conquista de 18 dos últimos 30 pontos a serem disputados. Nelsinho Baptista obrigou que o time chegue a 60% de aproveitamento nas últimas 10 rodadas.

“É este o nosso objetivo e agora é por isso que estamos trabalhando. Tivemos a semana inteira de treinos e pudemos ajustar muita coisa. Agora o que vale é correr atrás de uma vaga na Libertadores, e o Santos tem chance de chegar lá”, acredita.

No Morumbi a idéia é ganhar motivação. “Todos os jogos são importantes. O São Paulo precisa de vitórias se quiser chegar entre os sete primeiros. É claro que jogar dois clássicos em três dias é muito difícil, mas quem entrar deve estar sempre motivado”, argumentou Amoroso.

Formações

Autuori ainda não escalou quem joga porque pode poupar alguns jogadores para o clássico contra o Corinthians. A idéia do treinador são-paulino é manter contra o Timão a base que enfrenta o Santos, mas algumas peças devem ser diferentes.

Pelo lado santista um julgamento nesta sexta-feira tirou Saulo e Giovanni do clássico. Luizão, que já estava suspenso, teve sua pena aumentada para quarto jogos. O goleiro ficará afastado por um, enquanto o meia levou gancho de cinco partidas.

Os problemas abriram espaço para Mauro vestir a camisa 1 depois de três meses, e Luciano Henrique ganhar vaga no meio-campo. Na defesa o Peixe terá Halisson e Rogério nois lugares dos machucados Ávalos e Luiz Alberto, e no ataque Baptista barrou Pitbull para observer a dupla formada por Basílio e Geílson.

SÃO PAULO x SANTOS

Data: 22/10/2005 (Sábado)

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Horário: 20h30

Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (FIFA RS)

Auxiliares: José Antônio C. F. Filho (RS) e Marcos Viana Ibanez (RS)

São Paulo

Rogério; Cicinho, Lugano, Fabão e Fábio Santos (Richarlysson); Mineiro, Josué, Danilo e Leandro Bomfim; Thiago (Amoroso) e Christian

Técnico: Paulo Autuori

Santos

Mauro; Paulo César, Rogério, Halisson e Kleber; Fabinho, Heleno, Ricardinho e Luciano Henrique; Basílio e Geílson

Técnico: Nelsinho Baptista

Notícias relacionadas