São Paulo confirma histórico e goleia o Cienciano - WSCOM

menu

Mais Esporte

09/03/2006


São Paulo confirma histórico e

Num duelo entre uma equipe que nunca havia triunfado como visitante na Libertadores e outra que ostentava 29 partidas de invencibilidade dentro de casa, a lógica prevaleceu. O São Paulo recebeu o Cienciano na noite desta quarta-feira, no Morumbi, bateu os peruanos por 4 a 1 e manteve a liderança do Grupo 1 da competição sul-americana.

O resultado desta quarta-feira representou o 30º jogo consecutivo de invencibilidade do São Paulo como mandante na Copa Libertadores. O time tricolor não é batido no Morumbi desde 8 de maio de 1987, quando o Colo Colo venceu por 2 a 1 no estádio paulista.

Nas 30 partidas que disputou desde então, o São Paulo acumulou 27 vitórias e apenas três empates. No ano passado, por exemplo, o time tricolor venceu todos os compromissos que teve como mandante na campanha do tricampeonato.

Nesta quarta-feira, a força do São Paulo como mandante também expôs a fragilidade do Cienciano. Até aqui, o time peruano disputou nove partidas como visitante na Copa Libertadores e apresenta campanha pífia: oito derrotas e um empate (3 a 3 com o El Nacional, do Equador, no dia 23 de março de 2004).

A derrota desta quarta-feira manteve o Cienciano sem pontos ganhos na Copa Libertadores, na lanterna do Grupo 1. O São Paulo, em contrapartida, manteve 100% de aproveitamento no torneio e lidera a chave de forma isolada (o Chivas, com quatro pontos, ocupa o segundo posto).

O próximo compromisso do Cienciano na Libertadores está marcado para o dia 14 de março (terça-feira), quando o time peruano receberá o Caracas em Cuzco. O São Paulo voltará a campo apenas na semana seguinte, no dia 21, data em que o time tricolor visitará o Chivas Guadalajara.

Antes da terceira rodada da Libertadores, porém, o São Paulo atuará no Estadual. Vice-líder, o time dirigido por Muricy Ramalho jogará no próximo domingo, às 16h, contra o arqui-rival Corinthians. A equipe do Parque São Jorge tem um ponto de desvantagem em relação ao clube tricolor e aparece na quarta colocação da tabela.

O jogo

Com cinco homens no meio-campo e apenas Roberto Silva isolado na frente, o Cienciano mostrou formação cautelosa para o confronto com o São Paulo, no Morumbi. A retranca dos visitantes, contudo, teve vida extremamente curta na noite desta quarta-feira. Logo aos 2min, Fabão cobrou falta com muita força da meia esquerda. A bola entrou no canto direito baixo do goleiro Ibáñez, que não conseguiu alcançar.

Em desvantagem, o time peruano precisou sair mais para o ataque. E com isso, tornou-se suscetível aos contra-golpes do São Paulo. Com velocidade, sobretudo pelas laterais, o time brasileiro conseguiu dominar o confronto.

A superioridade técnica do São Paulo foi premiada aos 20min. Danilo carregou a bola pela esquerda e cruzou para o segundo pau. Livre de marcação, Alex Dias cabeceou no contrapé do goleiro Ibáñez e anotou o segundo do time tricolor, o primeiro do camisa 11 na Libertadores de 2006.

Depois do segundo gol, contudo, o time brasileiro se retraiu demais. Assim, deu espaço para o time peruano pressionar. “Nós fomos bem no primeiro tempo, mas não soubemos administrar a vantagem. Nossa equipe parou”, criticou o treinador Muricy Ramalho.

Fechado, o time brasileiro não conseguiu manter sua vantagem sequer até o término da primeira etapa. Aos 30min, a defesa do São Paulo parou em uma falta cobrada da direita e Bazalar recebeu livre na esquerda. O jogador do Cienciano cruzou para o meio e Roberto Silva completou de cabeça.

“Na verdade, o Aloísio estava fora de campo para ser atendido. Assim, faltou um homem lá atrás e a marcação se confundiu. Faltou um pouco de atenção para todos nós”, explicou o atacante Alex Dias.

Após a instabilidade do primeiro tempo, o São Paulo voltou mais equilibrado depois do intervalo. O time da casa acertou a marcação e voltou a dominar o confronto. No entanto, a equipe paulista mostrou muita morosidade e lentidão. Assim, não conseguiu pressionar o Cienciano.

A situação só mudou quando o treinador Muricy Ramalho trocou Alex Dias por Thiago, que deu mais movimentação ao São Paulo. E em seu segundo lance, aos 21min, o atacante marcou o terceiro dos donos da casa. Souza cruzou da direita e Ibáñez cortou de soco. No rebote, o jogador saído do banco de reservas chutou de primeira, de pé direito, e mandou no meio do gol.

O panorama da partida, que já era favorável ao São Paulo, ficou ainda mais confortável para os donos da casa aos 31min. Richarlyson conduziu pela esquerda e cruzou. A bola passou por toda a área e Souza, no segundo pau, completou de pé direito para encerrar a goleada dos donos da casa.

SÃO PAULO

Rogério Ceni; Fabão (Edcarlos), Lugano e André Dias; Souza, Mineiro, Josué, Danilo e Júnior (Richarlyson); Aloísio e Alex Dias (Thiago)

Técnico: Muricy Ramalho

CIENCIANO

Ibáñez; Huertas (Butron), Lugo, Villalta e Guizasola; Ferrari, Bazalar, De la Haza (Mostto), Salas (Torres) e García; Roberto Silva

Técnico: Wilmer Valencia

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Árbitro: Martín Vázquez (Uruguai)

Auxiliares: Olivier Viera e Maurício Espinoza (ambos do Uruguai)

Cartões amarelos: Souza (S), Roberto Silva (C), Fabão (S), De la Haza (C), Josué (S), Butron (C)

Gols: Fabão, aos 2min, Alex Dias, aos 20min, Roberto Silva, aos 30min do primeiro tempo; Thiago, aos 21min, Souza, aos 31min do segundo tempo

Notícias relacionadas