Santos vence, mantém sonho e breca o Vasco - WSCOM

menu

Mais Esporte

27/10/2005


Santos vence, mantém sonho e

O sonho do Santos continua vivo, mas o do Vasco ficou ainda mais longe. Motivados, respectivamente, pela disputa de uma vaga na Libertadores e na Copa Sul-Americana, as equipes entraram em campo nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, pela 34ª rodada do Campenato Brasileiro. Prevaleceu, porém, o oportunismo do time paulista sobre a fraca defesa do carioca na vitória por 3 a 1.

Com o resultado, o Santos chegou aos 55 pontos, mas continua na sexta colocação. O time está agora a um ponto da zona de classificação para a Copa Libertadores da América. Porém, o Fluminense, que está no quarto lugar, ainda joga nesta rodada.

“O gol deu início a uma vitória que nós precisávamos, e ele veio logo no começo do jogo. Estamos no caminho certo, continuaremos assim, somando pontos até chegar à Libertadores”, disse Geílson, autor do primeiro gol santista.

O Vasco manteve os 39 pontos, permanecendo no 16º lugar. Com isso, o time está a seis pontos da zona de classificação para a Copa Sul-Americana. Além disso, tem quatro pontos de vantagem para a área do descenso, mas o Paysandu, 19º, tem um jogo a menos.

A vitória mostra que o Santos conseguiu se estabilizar após a confusão na partida repetida contra o Corinthians, na Vila Belmiro. Desde o jogo, no qual o gramado foi invadido durante a derrota por 3 a 2, a equipe continua invicta.

Do lado vascaíno, o veterano atacante Romário, de 39 anos, foi destaque na partida. Tanto no lado positivo quanto no negativo. Jogador mais ativo no Vasco, o Baixinho marcou uma vez e teve gol anulado, mas perdeu muitas chances, inclusive um pênalti.

“Craque corre o tempo todo, se esforça. Os que não são craques, que não ganharam titulo ainda, não podem botar salto alto e acharem que são celebridades”, afirmou o técnico vascaíno Renato Gaúcho, que se irritou com a postura de seus comandados.

Na próxima rodada, o Vasco enfrenta o líder Corinthians, no domingo, às 16h, no Pacaembu. No mesmo dia e horário, o Santos recebe o Cruzeiro. Sem poder usar a Vila Belmiro por punição do STJD, o time usará o estádio Parque Antarctica. E sem presença de público.

O jogo

Enfrentando a zaga mais vazada do Campeonato Brasileiro, o Santos não encontrou dificuldade para fazer o gol de número 11 mil de sua história. Pelo contrário, com 15 minutos de bola rolando, já tinha feito três. Logo no primeiro minuto, Ricardinho cobrou escanteio e Geílson, de cabeça, abriu o placar, fazendo o gol histórico.

Jogando em casa, não demorou muito para o Vasco empatar. Depois de ter que repetir a cobrança de falta três vezes porque jogadores do Santos se adiantaram, Romário chutou com força, no canto esquerdo do goleiro Saulo e fez o gol.

Entretanto, o Santos passou a aproveitar as falhas da defesa adversária e em dois minutos marcou duas vezes. Aos 14min, Basílio invadiu a área e foi derrubado por Wagner Diniz. Na cobrança, Ricardinho bateu no canto esquerdo de Roberto e pôs o visitante novamente em vantagem. Um minuto depois, Geílson recebeu na área e errou o chute. A bola bateu em Roberto e subiu para Basílio fazer o terceiro gol, de voleio.

A equipe santista ainda teve uma ótima oportunidade de fazer o quarto gol. Basílio tentou encobrir Roberto e o goleiro desviou a bola, que bateu no travessão. Na sobra, Geílson cabeceou e acertou a trave. No novo rebote, Basílio, mais uma vez, tocou de cabeça e a bola saiu com perigo para fora.

Irritado durante o primeiro tempo, com direito a bronca em seus companheiros, Romário foi para o intervalo reclamando muito:

“Na minha concepção, esse foi o pior primeiro tempo do qual participei com a camisa do Vasco. Foi horrível. Ninguém fez nada, ninguém correu, ninguém marcou, ninguém falou. O Santos fez três e podia ter feito mais, apesar de a gente também ter tido algumas oportunidades comigo. O time tem que entrar com outra mentalidade, se não vai sair goleado”.

No retorno para etapa final, o Santos teve, logo de cara, mais uma ótima chance para fazer o quarto. Aos 4min, o árbitro marcou pênalti após toque de mão de Osmar – o volante já tinha tomado cartão amarelo, pelo mesmo motivo, mas não foi expulso. Porém, Paulo César cobrou para fora, desperdiçando a oportunidade.

O time da casa teria diminuído aos 8min se o auxiliar não tivesse cometido um erro. Romário recebeu lançamento em condição legal e tocou para o gol, na saída de Saulo. Porém, o assistente marcou impedimento.

A arbitragem voltou a errar aos 21min, desta vez favorecendo o Vasco. O zagueiro santista Halisson meteu a mão na bola, fora da área, mas o juiz marcou pênalti. Na cobrança, Romário bateu no canto direito de Saulo, mas acertou a trave e brecou uma possível reação vascaína.

VASCO

Roberto, Wagner Diniz, Fábio Braz, Anderson do Ó e Jorginho Paulista (Rodrigo); Ives, Osmar (Bruno Meneghel), Abedi e Morais; Alex Dias (William) e Romário

Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS

Saulo; Paulo César, Rogério, Luiz Alberto (Halisson) e Kléber; Fabinho, Gavião (Wendel), Ricardinho e Luciano Henrique (Léo Lima); Basílio e Geílson

Técnico: Nelsinho Baptista

Local: estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE-Fifa)

Auxiliares: Erick Bartholomeu Antas e Silva Bandeira (PE-Fifa) e Irani Pinto da Paz (PE)

Cartões amarelos: Luciano Henrique (S), Paulo César (S), Rogério (S), Osmar (V)

Gols: Geílson, a 1min, Romário, aos 6min, Ricardinho, de pênalti, aos 14min, Basílio, aos 15min do primeiro tempo

Notícias relacionadas