Santos vence e transforma clássico em decisão - WSCOM

menu

Mais Esporte

30/03/2006


Santos vence e transforma clássico

O Campeonato Paulista é disputado, há duas temporadas, no sistema de pontos corridos. No entanto, no próximo domingo, Santos e São Paulo vão reeditar a “final” do ano passado. O time alvinegro venceu o Bragantino por 3 a 1 nesta quarta-feira, de virada, e precisa apenas de um empate diante do rival tricolor para faturar o título que não vence desde 1984.

Com o triunfo diante do Bragantino, o Santos chegou a 40 pontos e manteve quatro de vantagem sobre o São Paulo, segundo colocado do Paulistão. Com apenas mais seis pontos em disputa e o confronto direto entre as duas equipes no próximo domingo, um empate seria suficiente para selar a conquista alvinegra.

“Estamos muito perto, mas não ganhamos nada ainda. A nossa situação na tabela mostra que o trabalho vem sendo bem feito desde o início do ano. Por isso, não podemos mudar nada no clássico contra o São Paulo. Vamos jogar da mesma maneira que temos nos apresentado”, prometeu o técnico santista Vanderlei Luxemburgo.

A situação é exatamente o inverso do que aconteceu no ano passado. Em 2005, o São Paulo chegou ao clássico contra o Santos precisando apenas de um empate para se sagrar campeão. As duas equipes empataram por 0 a 0 e o time tricolor levantou a taça.

Neste ano, a situação confortável do Santos no Campeonato Paulista foi garantida graças à estrela do meia Magnum. O jogador saiu do banco de reservas, entrou aos 22min da etapa inicial e marcou dois gols na virada do time alvinegro, que saiu perdendo para o Bragantino em casa.

“Eu tive uma noite muito feliz. Entrei para compor o meio-campo, para dar mais criatividade à equipe. Com isso, o Tabata e o Léo Lima apareceram mais. Acho que deu tudo certo para nós”, comemorou Magnum.

Os gols de Magnum mantêm o Bragantino na décima colocação do Campeonato Paulista. O time dirigido por Marcelo Veiga tem 23 pontos somados até aqui e perdeu nesta quarta-feira uma invencibilidade de três partidas no Estadual (um empate e duas derrotas).

Na próxima rodada do Campeonato Paulista, o Bragantino jogará no sábado. O time do interior paulista visitará o Noroeste, às 18h10, em Bauru. No dia seguinte, às 16h, o Santos enfrentará o São Paulo no Morumbi e será campeão se obtiver ao menos um empate.

O jogo

Devido a uma queda no sistema de iluminação, o confronto entre Santos e América começou com 28 minutos de atraso. Nem tanto pelo tempo de paralisação, mas sobretudo pelo gramado pesado na Vila Belmiro (resultado da chuva que atingiu a cidade litorânea durante todo o dia), as duas equipes apresentaram ritmo lento e só assustaram o adversário em chutes de longa distância.

A falta de criatividade fez com que o técnico Vanderlei Luxemburgo resolvesse mudar o Santos logo aos 22min. O comandante alvinegro abandonou o 3-5-2 e trocou o zagueiro Ronaldo Guiaro pelo meia Magnum.

Só que a iniciativa de Luxemburgo foi rapidamente frustrada. Quatro minutos depois da alteração, Manzur carregou a bola pela direita e tocou na frente para Léo Lima. De costas para o gol, o meia foi desarmado por Glauco. No contra-golpe, o Bragantino explorou a ausência de Manzur (que estava no campo de ataque) e encontrou Davi. O atacante recebeu na esquerda, driblou Fábio Costa e tocou de pé esquerdo. A bola ainda tocou na trave antes de entrar.

O gol parecia ter desmontado o novo sistema tático proposto por Luxemburgo. No entanto, o time da casa seguiu com mais posse de bola e conseguiu empatar aos 35min. Após cruzamento rasteiro do lado canhoto, Cléber Santana concluiu para o gol e foi travado. A sobra ficou com Manzur, que dominou e chutou de pé esquerdo, perto da trave esquerda de Felipe.

Animado pelo empate, o Santos seguiu superior em campo. E com isso, conseguiu a virada antes do intervalo. Cléber Santana roubou a bola na direita, driblou um marcador para o meio e cruzou rasteiro. Fabinho deixou passar para Magnum, que chutou de primeira e acertou o canto esquerdo de Felipe aos 46min.

“Começamos bem, mas vacilamos demais. Não podemos ter duas faltas de atenção tão grandes em um confronto com o Santos, que tem muita qualidade e é líder do Campeonato Paulista”, reclamou o meia Dinelson, do Bragantino.

Após sofrer a virada, o Bragantino mudou completamente sua postura na etapa final. Primeiro, o time do interior passou a cometer mais faltas sobre os jogadores do Santos. Depois, a partir da entrada do centroavante Alex Afonso, passou a chegar mais ao campo de ataque.

A mudança de postura do Bragantino ainda foi auxiliada pela queda de produção do Santos, que sentiu cansaço e não conseguiu reeditar o ritmo imposto na primeira etapa. A situação só mudou quando o técnico Vanderlei Luxemburgo trocou o meia Tabata, apagado, por Wendell.

Com mais um armador no meio-campo, o Santos cresceu e liquidou o placar. Aos 30min, Reinaldo arrancou pela direita e cruzou rasteiro. Glauco afastou para o meio da área e Magnum bateu de primeira para fazer o terceiro do time da casa.

O gol de Magnum foi seguido por uma série de oportunidades desperdiçadas pelo time da Vila Belmiro. Com espaço, o Santos ameaçou o rival nos contra-golpes e quase marcou com Reinaldo e Luiz Alberto. No entanto, as conclusões foram erradas e não alteraram o placar.

SANTOS

Fábio Costa; Julio Manzur, Luiz Alberto e Ronaldo Guiaro (Magnum); Fabinho, Maldonado, Cléber Santana, Léo Lima e Kléber; Rodrigo Tabata (Wendell) e Reinaldo (Renatinho)

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

BRAGANTINO

Felipe; Fabiano (Alex Afonso), Eduardo, Thiago Vieira e André; Nilton (Danilo), Glauco, Thiago Almeida e Dinelson; Davi e Marcos Aurélio

Técnico: Marcelo Veiga

Local: estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)

Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado

Auxiliares: Aline Lambert e Rafael Porcari

Cartões amarelos: Thiago Almeida (B), Thiago Vieira (B), Manzur (S)

Gols: Davi, aos 26min, Manzur, aos 35min, Magnum, aos 46min do primeiro tempo; Magnum, aos 30min do segundo tempo

Notícias relacionadas