Saiba quando usar serviços de urgência e emergência em um hospital - WSCOM

menu

Saúde

24/08/2018


Saiba quando usar serviços de urgência e emergência em um hospital

Foto: autor desconhecido.

  Assim como no trânsito, onde é regra o motorista dar passagem para uma ambulância com a sirene ligada, em um hospital também se usa o critério da prioridade no momento da assistência. E isso ocorre dependendo do quadro do paciente.

Dar prioridade para quem se encontra em uma situação de risco, por exemplo, é uma questão de sobrevivência, e merece uma atenção especial de todos, desde os clientes que estão aguardando até a equipe médica e assistencial.

Por isso, no Pronto Atendimento do Hospital Alberto Urquiza Wanderley, unidade própria da Unimed João Pessoa, é usado o Protocolo de Manchester, que classifica o paciente de forma científica e criteriosa. O objetivo é atender primeiro a quem precisa de socorro mais imediato. Afinal, um minuto pode ser o diferencial para salvar uma vida.

O Protocolo de Manchester é um sistema de classificação de risco, testado e aprovado em vários países. Ele classifica os pacientes por cores, que vão do vermelho ao azul, dependendo das condições clínicas. Essas pulseiras coloridas sinalizam o nível de gravidade do paciente.

A classificação acontece da seguinte forma: um enfermeiro capacitado verifica pressão arterial, temperatura e fica a par dos sintomas do paciente, então, o sistema classifica o seu “grau” de urgência. Ele recebe uma pulseira colorida para aguardar o atendimento do médico. Em alguns casos, o atendimento é imediato, mas em outros, é necessário esperar um pouco.

CASOS AMBULATORIAIS

Nas situações que não apresentam gravidade, que não sejam de urgência e emergência, o ideal é procurar atendimento em um consultório com seu médico de confiança.

No entanto, a Unimed João Pessoa tem ainda o Hospital Moacir Dantas, na Torre, que dispõe de consultórios e um Pronto Atendimento para situações ambulatoriais; e o Núcleo de Atenção à Saúde – Sul, nos Bancários, que faz atendimento ambulatorial em pediatria e clínica geral.

CORES QUE SALVAM VIDAS

A gravidade do caso é identificada por cor. Veja abaixo qual o significado das cinco do Sistema de Classificação de Risco, adotado no Hospital Alberto Urquiza Wanderley:

Vermelho: Emergência

Essa cor indica que o paciente precisa de atendimento imediato por estar com a vida em risco. Paciente normalmente inconsciente.

Tempo máximo para atendimento: 0 minuto.

Laranja: Muito urgente

O paciente precisa de atendimento o mais rápido possível.

Tempo máximo para atendimento: 10 minutos.

Amarela: Urgente

O paciente precisa de avaliação. Não é considerada uma emergência, já que possui condições clínicas para aguardar.

Tempo máximo para atendimento: 60 minutos.

Verde: Pouco urgente

É o caso menos grave, que precisa de atendimento médico, mas pode ser assistido no consultório médico, ambulatorialmente.

Tempo máximo para atendimento: 120 minutos.

Azul: Não urgente

Esse paciente poderia ser atendido em um consultório médico.

Tempo máximo para atendimento: 240 minutos.