Rússia confirma morte de quatro diplomatas seqüestrados em Bagdá - WSCOM

menu

Internacional

26/06/2006


Rússia confirma morte de quatro

O Ministério de Assuntos Exteriores da Rússia confirmou nesta segunda-feira a morte dos quatro diplomatas russos seqüestrados no início de mês em Bagdá por um grupo extremista vinculado à rede terrorista Al Qaeda.

“Comunicamos com grande dor que, a julgar por tudo, ocorreu algo irreparável com os diplomatas da Embaixada russa no Iraque seqüestrados, apesar dos esforços empreendidos para libertá-los”, informou a Chancelaria russa em comunicado.

A nota indica que “sejam quais forem as palavras de ordem e os motivos religiosos com os quais se encobrem os terroristas, estes são seres desumanos, sem honra, consciência nem fé”.

A Chancelaria russa exigiu das autoridades iraquianas e do comando das forças multinacionais que “empreendam todos os esforços para que nenhum dos responsáveis pela morte dos cidadãos russos escape do castigo justo”.

“Precisamente, as forças da coalizão têm a responsabilidade de garantir a segurança no Iraque, em particular, de proteger as missões diplomáticas e seu pessoal”, afirma a nota, que acrescenta que Moscou pediu mais de uma vez o reforço das medidas de vigilância.

O comunicado indica que o “Iraque se transformou em palco de ataques terroristas que afetam não apenas os representantes estrangeiros, mas antes de tudo os cidadãos iraquianos”.

“Para evitar novas tragédias e para que o Iraque recupere a estabilidade e a segurança, é preciso procurar a concórdia nacional e a unificação de todos os iraquianos, independentemente de sua origem étnica e crença religiosa”, acrescentou o ministério russo.

A nota acrescenta que “se requer uma contribuição coletiva internacional e real ao processo político no Iraque”, pois “os esquemas unilaterais de cunho político não deram resultados, enquanto a situação se foi agravando”.