Rodrigo Maia destaca diálogo com a bancada paraibana e diz que Gervásio tem que escolher entre 'votar no partido ou na família' - WSCOM

menu

Política

14/01/2019


Rodrigo Maia destaca diálogo com a bancada paraibana e diz que Gervásio tem que escolher entre ‘votar no partido ou na família’

O parlamentar destacou que espera uma reconsideração relativo a posição do paraibano.

Imagem reprodução

O deputado federal eleito pelo Rio de Janeiro, Rodrigo Maia (DEM), destacou em entrevista a importância do diálogo que teve em reunião com a bancada paraibana na manhã desta segunda-feira (14). Segundo o presidente da Casa, a visita teve como pauta prioritária a agenda da Câmara, além de uma ‘reintegração as suas raízes na Paraíba’.

 

“Eu acho que foi uma boa visita, aliás, minha família é da Paraíba, de Catolé do Rocha, então estar na Paraíba é um orgulho, uma honra. Estive com uma boa parte da bancada, conversamos sobre o futuro da Câmara, sobre a importância da independência dos poderes, além da Câmara ter uma Agenda que represente essa demanda da sociedade que saiu das urnas e claro, dialogo com o poder Executivo e Judiciário”, disse.

 

O parlamentar citou que a reunião foi positiva e, mesmo com a ausência do deputado federal diplomado, Gervásio Maia (PSB), o dialogo com o PSB se manteve aberto com a presença de Veneziano.

 

“Foi uma reunião muito positiva, foi um número maior de deputados do que nos esperávamos, acho que tenho uma boa relação com a bancada da Paraíba e tenho certeza que paraibano vota em paraibano. Espero que todos lembrem que meu bisavó, de Catolé do Rocha, foi para Belém, para o ciclo da borracha, depois o meu avô foi estudar no Rio e por meu isso a minha família é de lá. As minhas bases familiares, o meu Maia, é a mesma do Gervásio Maia, do Rio Grande do Norte, do João Maia”, disse o presidente da Câmara Federal.

 

Rodrigo Maia destacou que espera uma reconsideração relativo a posição de Gervásio e deixou claro que a a sua escolha será entre “votar na família, ou votar no partido dele”.

 

“Ele é do PSB, ele vai votar com o partido dele e espero que o PSB possa reconsiderar e reavaliar o indicativo já que é um partido que me apoiou na última eleição, partido muito importante, com grandes quadros e espero que a gente possa retoma-lo. Isso é uma decisão dele, ou vota na família, ou vota no partido dele”, concluiu.