Ricardo ressalta autonomia do PP e diz que oposição trabalha para ‘salvar’ Cássio - WSCOM

menu

Política

04/07/2018


Ricardo ressalta autonomia do PP e diz que oposição trabalha para ‘salvar’ Cássio

Foto: autor desconhecido.

O governador Ricardo Coutinho (PSB) evitou, nesta quarta-feira (4), se aprofundar sobre as articulações do PSB com o PP visando uma composição para a chapa majoritária. Ricardo recebeu ontem (3), a deputada Daniella Ribeiro (PP), em pauta administrativa.

Segundo Ricardo, o PP tem sua autonomia e cabe aos membros do partido e ao articulador e pré-candidato do PSB, João Azevedo, comentarem sobre a possibilidade de aliança.

“Essa pergunta não pode ser feita a mim e sim a Daniella ou a João, tenho cuidado ao falar para que não atropele. O PP tem sua autonomia sua visão de estado e evidentemente sabe que a Paraíba hoje está muito melhor agora de que quando eu assumi o governo”, disse.

Ao comentar sobre a saída do senado Raimundo Lira (PSD) da disputa eleitoral, Ricardo afirmou que já imaginava a ‘rifagem’ do político, e comentou que o senador Cássio Cunha Lima está ‘manipulando’ a oposição para ser ‘salvo’.

“O senador Lira, por todos os contatos que tive, é um cara que sempre procurou ajudar o estado, com um olhar para o desenvolvimento, nunca estivemos distantes, nem quando ele, erroneamente, escolheu um partido. Não me parecia uma alternativa boa para ele, arriscou e escolheu um lado através desse partido, porque a oposição funciona para salvar uma pessoa, não por um projeto, e essa pessoa tem manipulado, até então com vitórias, todos que estão ao seu redor se dizendo aliados. Isso é claro, está presente e evidente”, destacou.

Coutinho apontou ainda que Cássio sequer aparece junto ao pré-candidato opositor, Lucélio Cartaxo, e o apoiou para se livrar de um possível concorrente ao Senado Federal.

“Veja se essa pessoa aparece junto ao pré-candidato Cartaxo, ao pré-candidato Lucélio, não chega nem perto. Ao defenestrar Lira queria um companheiro de chapa frágil, ao apoiar Lucélio queria se livrar de outro ao senado, é um interesse pessoal de tentar se salvar”, finalizou.

Notícias relacionadas