Referendo do Desarmamento motiva debate entre servidores da Prefeitura - WSCOM

menu

Paraíba

19/10/2005


Referendo do Desarmamento motiva debate

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) promove nesta quarta-feira (19) um debate sobre o Referendo do Desarmamento para os servidores públicos municipais. A atividade é uma iniciativa da Procuradoria Geral do Município (Progem) e pretende proporcionar aos funcionários condições de decidir sobre a proibição ou não do comércio de armas e munições no País, através do acesso aos dois argumentos.

A discussão vai acontecer no Auditório do Paço Municipal, localizado à Praça Pedro Américo, no Centro da cidade, a partir das 17h. “O objetivo principal é possibilitar que os servidores indecisos possam saber em que opção votar, baseado no livre conhecimento”, explicou o procurador-geral do município, Gilberto Carneiro.

Os debatedores serão José Edísio Souto, conselheiro e presidente da Comissão Nacional dos Direitos Humanos da OAB, representando a opção pelo “sim”, e Gilson Gondin, sociólogo graduado pela London School Economics, escritor, teatrólogo, servidor público estadual da Assembléia Legislativa, que fará a defesa do “não”.

Gilberto Carneiro, o mediador do debate, explicou que os convidados terão 20 minutos cada um para fazer a defesa de seus argumentos. Depois serão concedidos cinco minutos à réplica e tréplica e mais cinco minutos para a formulação de perguntas entre os debatedores. O público também participará das discussões, tendo um minuto para formular as suas perguntas, que serão respondidas em três minutos pelos convidados.

Referendo – O Referendo do Desarmamento vai acontecer no próximo domingo (23). Naquele dia, os eleitores vão responder “sim” ou “não” à pergunta: “O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?”. Com a resposta os eleitores vão regulamentar o artigo 35 do Estatuto do Desarmamento, que trata da questão.

Se o eleitor optar pela proibição, respondendo “sim”, não será possível ao cidadão comum comprar armas e munição, que ficarão restritas aos policiais, profissionais da área de segurança privada e aos colecionadores que dispuserem de registros na Polícia Civil ou na Polícia Federal.

Serão 406 mil urnas eletrônicas instaladas em 353 mil seções eleitorais do País. Estima-se que 122 milhões de eleitores deverão participar do referendo em todo o Brasil. Na Paraíba, cerca de dois milhões de pessoas irão às urnas no dia 23.

Notícias relacionadas