Reféns são libertados em operação de resgate no Iraque - WSCOM

menu

Internacional

23/03/2006


Reféns são libertados em operação

Três funcionários de uma agência humanitária que eram mantidos como reféns no Iraque foram resgatados em uma operação das forças multinacionais que ocupam o país.

Os três estrangeiros – um britânico e dois canadenses – haviam sido seqüestrados em novembro do ano passado junto com um americano que foi encontrado morto em Bagdá no início deste mês.

O ministro do Exterior britânico, Jack Straw, disse que Norman Kember, de 74 anos, parece estar em condições razoáveis de saúde.

Os outros dois libertados foram os canadenses James Loney, 41, e Harmeet Singh Sooden, de 32, e estariam sob cuidados médicos.

Straw se disse satisfeito com o resultado da operação, que envolveu forças especiais britânicas, mas lamentou a morte do americano Tom Fox, de 54 anos, cujo corpo foi encontrado no dia 10 em uma linha de trem em Bagdá.

O sequestro foi reivindicado por um grupo que se identificou como Espadas da Verdade, até então desconhecido.

O grupo trabalhava para a organização Christian Peacemaker Teams e foi mostrado em diversos vídeos do grupo. No mais recente deles, no dia 28 de fevereiro, Fox já não aparecia.

Ataque a delegacia – Ainda nesta quinta-feira, pelo menos 15 pessoas morreram e mais de 30 ficaram feridas em novo ataque a uma delegacia no Iraque, segundo informações da polícia iraquiana.

O ataque, em Samarra, cidade ao leste de Bagdá, é o terceiro a visar uma delegacia em três dias. Na quarta e na terça-feira, ações semelhantes em Midain e em Miqdadiya deixaram pelo menos 22 mortos.

Acredita-se, porém, que ao contrário das outras ações, que contaram com morteiros e granadas, o ataque desta quinta-feira teria sido executado por um carro-bomba dirigido por um militante suicida.

O correspondente da BBC em Bagdá, Andrew North, afirma que as janelas dos prédios vizinhos chacoalharam com a explosão e, em seguida, uma coluna de fumaça podia ser vista saindo da delegacia.

Um grupo de insurgentes armados atacou uma delegacia na cidade de Midain, cerca de 20 quilômetros ao sul de Bagdá, matando quatro policiais na madrugada desta quarta-feira, de acordo com a polícia do Iraque.

Os homens teriam lançado granadas e morteiros contra o prédio, em um ataque semelhante ao que aconteceu na terça-feira na cidade de Miqdadiya, em que 18 pessoas morreram.

Um dos mortos do último ataque teria sido o coronel Ahmed Jabar, diretor de uma “unidade de estabilidade” baseada na delegacia de Midain, segundo a agência de notícias Reuters.

A cidade é considerada uma área de instabilidade, com sua população dividida entre xiitas e sunitas. Freqüentemente, as tensões religiosas acabam em violência. Ataques às forças de segurança também seriam comuns na região.

Depois do atentado, a polícia teria feito uma grande operação na cidade e detido vários suspeitos.

Entre eles estaria um sírio que tinha vários folhetos do líder extremista Musab Al-Zarqawi, de acordo com a agência Reuters.

No ataque de terça-feira, a maior parte dos mortos também seriam policiais.

O ataque também aconteceu durante a madrugada. O grupo teria chegado em carros civis e atacado, além da delegacia, o fórum e a prefeitura.

A ação teria durado cerca de uma hora e só foi interrompida pela chegada de helicópteros americanos, de acordo com fontes policiais citadas pela agência de notícias AFP.

Na segunda-feira, a invasão do Iraque liderada pelos Estados Unidos completou três anos.

Notícias relacionadas